|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus

Portugal contribui com 10 milhões de euros para a investigação de vacina e tratamentos

04 mai, 2020 - 10:26 • Redação

António Costa destaca "resposta à escala global" para procurar combate a Covid-19 com novas formas de diagnóstico, tratamento e vacina.

A+ / A-
Veja também:

António Costa anunciou que Portugal reuniu 10 milhões de euros de contribuições para a angariação de fundos da Comissão Europeia para a investigação de uma vacina e tratamentos para a Covid-19.

A verba será entregue esta tarde na campanha mundial de angariação de fundos, que é lançada em Bruxelas. A Comissão Europeia espera recolher 7,5 mil milhões de euros. O valor é um conjunto de doações de empresas públicas e privadas.

"É um desafio global que só pode ter respostas à escala global. É muito importante que tenha sido organizada esta iniciativa para mobilizar 7,5 mil milhões de euros com os objetivos de desenvolver mecanismos de diagnóstico, tratamento e uma vacina para a Covid-19", diz, numa conferência de imprensa na Fundação Calouste Gulbenkian, em Lisboa.

O primeiro-ministro agradece a todo o setor público e privado pelas doações que permitem que Portugal contribua com 10 milhões de euros.

"Quero agradecer ao setor público e privado, as empresas, associações empresariais, ciência e também o setor social e filantrópico, que nos permitiu fazer esta oferta", diz.

Costa destaca a importância do setor científico no combate à Covid-19. "Não é só um esforço financeiro. O sistema científico está a funcionar plenamente, é necessário encontrar novas formas de diagnóstico", diz.


Angariação pode ser "ensinamento" para a Europa

Augusto Santos Silva, Ministro dos Negócios Estrangeiros, também marcou presença na conferência de imprensa e apela aos valores que a pandemia da Covid-19 levanta.

"A pandemia de Covis-19 coloca três desafios particulares à Europa: coordenação, colaboração e cooperação. Só de forma coordenada a UE pode superar a crise que a pandemia provocou", afirmou.

O ministro recorda a importância da descoberta de uma vacina para que a doença possa ser controlada e reduzidos os danos.

"Esta coordenação é essencial em relação à que é a nossa grande necessita.de, de encontrar tratamento eficaz e necessidade de chegarmos rapidamente a uma vacina. Temos de estar envolvidos num registo de colaboração, entre estados-membros e entre as fundações, o setor social, colaboração das empresas e das entidades privadas e dos sistemas científicos, que representam uma das maiores riquezas da EU.

Nesse sentido, Santos Silva destaca a participação portuguesa com o financiamento e acredita que a atual pandemia poderá servir de ensinamento para o futuro, quando os países precisarem de financiamento para reerguerem as suas economias.

"Este espírito pelo qual vamos levantar uma quantidade significativa de recursos financeiros, sem duvidar de saber a quem pertence e, sobretudo, a quem pertence o seu benefício, é uma forma muito cooperativa de nós, europeus, encontrarmos recursos de que precisamos para valorizar a nossa Europa. Que seja um ensinamento para outras dimensões em que precisamos também de levantar recursos significativos para apoiar a recuperação das nossas economias e das nossas sociedades", afirma.

O ministro diz que o apoio de Portugal não ficará só pelo aspeto financeiro: "Queremos participar no esforço de desenvolvimento da investigação laboratorial e da implementação prático do tratamento e da vacina. Temos recursos importantes na nossa ciência, nas nossas farmacêuticas, no nosso setor de saúde para que a Europa possa chegar à tão ansiada vacina", termina.

Ursula von der Leyen participou na conferência de imprensa através de um vídeo. A Presidente da Comissão Europeia pede união à escala global para combater a pandemia.

"A resposta a esta pandemia tem de ser global. Precisamos de colaboração de todos os governos, cientistas, sociedade civil, empresas, cidadãos. O objetivo desta conferência global é juntar forças e mobilizar recursos. Temos de desenvolver uma vacina, produzi-la e distribui-la por todos os cantos do mundo", disse.

A líder da Comissão Europeia alerta, no entanto, que 7,5 mil milhões de euros poderão não ser suficientes no futuro.

"Para isto precisamos de dinheiro. Um dos grande objetivos é angariar uma quantia inicial de 7,5 mil milhões de euros para arrancar com esta cooperação global. No futuro será necessário mais dinheiro", termina.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.