|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus. Quase 10 mil detidos libertados nas Filipinas

03 mai, 2020 - 01:19 • Lusa

A decisão foi tomada como medida para tentar travar o avanço da Covid-19 nas cadeias.

A+ / A-

Veja também:


Perto de 10 mil detidos foram libertados nas Filipinas para tentar impedir a propagação do novo coronavírus nas prisões sobrelotadas do país, anunciou este sábado o Supremo Tribunal.

"O tribunal está plenamente consciente da sobrelotação das nossas prisões", disse à imprensa o magistrado daquele tribunal, Mario Victor Leonen, anunciando a libertação de 9.731 detidos, que aguardam julgamento na prisão por não poderem pagar a fiança.

O aparecimento da covid-19 foi relatado em algumas das prisões mais sobrelotadas do país, tanto entre os presos como entre os funcionários. O distanciamento social é quase impossível nos estabelecimentos prisionais filipinos, onde as celas às vezes recebem até cinco vezes mais detidos do que o esperado, devido à infraestrutura inadequada e a um sistema judicial lento e sobrecarregado de trabalho.

A sobrelotação nas prisões piorou desde que o Presidente filipino, Rodrigo Duterte, chegou ao poder em 2016 e endureceu a luta contra o tráfico de drogas, que já levou a milhares de detenções.

Os números mais elevados de casos foram registados em duas prisões na ilha de Cebu, no centro do arquipélago, que na sexta-feira registou um total de 348 infeções em mais de 8.000 detidos. Todos estes casos levaram grupos de direitos humanos a pedir a libertação antecipada de detidos acusados de crimes não violentos, bem como de prisioneiros doentes e idosos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.