|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Estado de calamidade

Missas. Levantamento de restrições a partir do último fim de semana de maio

30 abr, 2020 - 18:07 • Redação

As normas para o regresso à normalidade serão estabelecidas "de acordo com regras a definir entre a DGS e confissões religiosas", disse o primeiro-ministro.

A+ / A-
Costa anuncia reabertura do país com "várias linhas vermelhas" e "sem vergonha de dar passo atrás"
Costa anuncia reabertura do país com "várias linhas vermelhas" e "sem vergonha de dar passo atrás"

Veja também:


O primeiro-ministro, António Costa, revelou, esta quinta-feira, que as restrições às celebrações comunitárias "de todas as religiões" começarão a ser levantadas no fim de semana de 30 e 31 de maio.

As normas para o regresso à normalidade serão estabelecidas "de acordo com regras a definir entre a DGS e confissões religiosas", disse Costa, durante uma conferência de imprensa realizada após o Conselho de Ministros. Já quanto a funerais, deixa de ser possível limitar participação de familiares durante o estado de calamidade.

Durante a tarde, o Governo apresentou outras medidas de desconfinamento gradual, com um calendário provisório e "sem vergonha de voltar atrás" se a evolução da epidemia da Covid-19 em Portugal assim o exigir.

Entre as medidas conta-se o uso obrigatório de máscaras nos transportes e noutros espaços fechados. A partir de amanhã, sexta-feira, a pesca pode ser retomada, sendo que as praias, para já, estarão abertas apenas para a prática de desportos náuticos.

António Costa revelou que vai declarar o estado de calamidade a partir de 3 de maio, depois de mês e meio de estado de emergência.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.