Tempo
|
A+ / A-

Secretário de Estado da Saúde

Covid-19. SNS preparado para eventual aumento de casos em cuidados intensivos no período pós-confinamento

28 abr, 2020 - 13:35

O secretário de Estado da Saúde, António Lacerda Sales, diz que os atuais valores de ocupação em cuidados intensivos permitem "preparar com tranquilidade" a fase de levantamento de medidas restritivas.

A+ / A-

Veja também:


O Sistema Nacional de Saúde está preparado para um possível aumento de casos de Covid-19 em cuidados intensivos após o final do período de confinamento, que acontecerá a partir de 4 de maio, depois de levantamento do estado de emergência, anunciado por Marcelo Rebelo de Sousa, esta terça-feira, e das limitações à circulação impostas para o fim de semana alargado de 1 a 3 de maio.

Na conferência de imprensa diária de atualização da situação epidemiológica em Portugal, António Lacerda Sales, secretário de Estado da Saúde, diz que os indicadores atuais de ocupação em cuidados intensivos permite preparar com tranquilidade um possível aumento de casos no final do período de isolamento da população.

"Temos algum conforto, neste momento, para receber toda a matéria Covid-19 e preparar as unidades de cuidados intensivos, um esforço conjunto da 'task force' que estuda este processo e dos clínicos, que são cerca de 250 intensivistas, sem contar com os pneumologistas, anestesistas e internistas. Com a serenedidade e tranquilidade possível vamos preparar a atividade pós-Covid", diz.

À data, Portugal tem uma taxa de ocupação em cuidados intensivos de 54%, "um bom indicador", segundo António Lacerda Sales. "Temos 289 camas vagas e 334 ocupadas. Estamos sempre preocupados, porque é uma matéria de grande preocupação, mas parecem bons indicadores", reforça.

Apelo à confiança no SNS

O secretário de Estado da Saúde sublinha que Portugal está entrar numa fase de "recuperação da confiança dos portugueses" no Sistema Nacional de Saúde. À semelhança do que Graça Freitas, Diretora-Geral da Saúde, já tinha apelado, na segunda-feira, Sales pede para que os portugueses não deixem de vacinar os seus filhos.

"Inicia-se um processo de recuperação da confiança das pessoas no SNS. Apelamos aos pais que não descurem na vacinação dos filhos e aos doentes crónicos que não deixem de procurar os cuidados médicos que necessitem", apela.

Indústria reconvertida

António Lacerda Sales fez ainda uma atualização do número de empresas que já foram aprovadas pelo Infarmed para converterem a sua produção habitual, para a criação de equipamentos de proteção individual (EPI).

"Já temos quase 50 empresas nacionais que adaptaram a sua produção com a validação do Infarmed e que estão a produzir EPI que estão a chegar aos nossos profissionais de saúde. Estão em fases diferençes de produção e esperamos ter ainda mais empresas, para que a resposta do mercado interno seja ainda maior", observa.

Segundo o relatório da Direção-Geral da Saúde, há 24.322 casos confirmados de Covid-19 em Portugal, dos quais resultaram 948 óbitos.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Filipe
    28 abr, 2020 évora 16:21
    Agora chega a fase da Burla aos cidadãos , tipo desembarque na Normandia , só que o inimigo é invisível . Quantas toneladas de carne para canhão vai parar aos crematórios ? Isto tudo porque uma dúzia de bandido ricos ligados à economia mandam no país , tal como antes 74 mandavam em África .