Tempo
|
A+ / A-

Pandemia de Covid-19

25 de Abril. Jerónimo cantou "Grândola" e pediu que “ninguém cale a voz da liberdade”

25 abr, 2020 - 16:18 • Lusa

“Sendo simbólico, tem esta carga de que não deixaremos de comemorar, celebrar o acto mais moderno e avançado na nossa época contemporânea”, afirma o secretário-geral do PCP.

A+ / A-

Veja também:


O secretário-geral do PCP juntou-se este sábado a vários dirigentes comunistas junto à sede do partido, em Lisboa, para o gesto simbólico de cantar a “Grândola” e pedir que ninguém cale as celebrações do 25 de Abril.

“Sendo simbólico, tem esta carga de que não deixaremos de comemorar, celebrar o acto mais moderno e avançado na nossa época contemporânea”, afirmou Jerónimo de Sousa, em declarações à RTP e CMTV, depois de cantar, primeiro, “Grândola Vila Morena”, uma das senhas do golpe, e depois o hino nacional, “A Portuguesa”.

Abril, segundo afirmou, “significa Serviço Nacional de Saúde (SNS), escola pública, Segurança Social, geral e universal, liberdades, o direito a ter direito”.

Numa altura em que o país vive em estado de emergência devido à pandemia de covid-19, não se realizou este ano o habitual desfile em Lisboa e manifestações noutras cidades.

Que “isso não cale a voz da liberdade e o valor do 25 de Abril”, disse que, à porta da sede da rua Soeiro Pereira Gomes, em Lisboa, esteve acompanhado de outros dirigentes do partido como Francisco Lopes, Luís Araújo, Jose Capucho ou António Filipe, vice-presidente da Assembleia da República.

Críticas, esperança, evocações e silêncio. O essencial da cerimónia inédita do 25 de abril
Críticas, esperança, evocações e silêncio. O essencial da cerimónia inédita do 25 de abril

Jerónimo de Sousa realçou que hoje, apesar de a maioria dos portugueses “já nasceu depois do 25 de Abril ou era bem pequeno” nessa data, as pessoas entendem o seu significado e deu o exemplo dos jovens.

“Essa juventude, lutando contra os vínculos precários, lutando para terem mais direitos, no fundo estão a defender os valores de Abril, mesmo não lhe chamado isso”, afirmou

A Associação 25 de Abril foi, em março, que primeiro fez a sugestão de portugueses, em confinamento, irem às janelas e varandas para cantar a canção de Zeca Afonso que serviu de senha para o Movimento das Forças Armadas (MFA), em 1974, e depois o PCP fez apelo idêntico.

Parlamento cumpre minuto de silêncio pelas vítimas da Covid-19
Parlamento cumpre minuto de silêncio pelas vítimas da Covid-19
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.