Tempo
|
A+ / A-

Covid-19 já fez quase 3 mil mortos no Brasil

22 abr, 2020 - 21:06 • Redação com Lusa

Em 24 horas, houve mais 2.678 infetados e número total de vítimas mortais é agora de 2.906.

A+ / A-

Veja também:


O Brasil confirma mais 165 novos mortos, vítimas da Covid-19, só nas últimas 24 horas.

O país sul-americano está agora perto dos três mil mortos (2.906).

Há também 45.757 infetados do novo coronavírus, mais 2.678 contaminações.

A atualização é do Ministério brasileiro da Saúde.

São Paulo continua a liderar a lista dos estados brasileiros com o maior número de casos, concentrando 1.134 mortos e 15.914 casos de infeção, seguindo-se o Rio de Janeiro, com 490 vítimas mortais e 5.552 casos confirmados da covid-19.

A seguir a São Paulo e Rio de Janeiro, o Ceará, Pernambuco e Amazonas são as restantes unidades federativas que já ultrapassaram os 200 mortos devido ao novo coronavírus.

Em todo o território brasileiro, 12 estados já têm mais de mil casos registados da doença: São Paulo, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Espírito Santo, Paraná, Santa Catarina, Pará, Pernambuco, Ceará, Bahia, Maranhão e Amazonas.

Segundo dados divulgados pelo executivo, até à noite de terça-feira, o país sul-americano já tinha registado a recuperação de 24.325 pacientes infetados e 16.013 doentes continuavam sob acompanhamento.

A nível global, segundo um balanço da AFP, a pandemia de covid-19 já provocou cerca de 179 mil mortos e infetou mais de 2,5 milhões de pessoas em 193 países e territórios.

Mais de 583 mil doentes foram considerados curados.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Para combater a pandemia, os governos mandaram para casa 4,5 mil milhões de pessoas (mais de metade da população do planeta), encerraram o comércio não essencial e reduziram drasticamente o tráfego aéreo, paralisando setores inteiros da economia mundial.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.