Tempo
|
A+ / A-

Estudo em Casa. Confap exige que continue a haver contacto entre professor e aluno

20 abr, 2020 - 00:24 • Redação

Estudo em Casa começa esta segunda-feira com transmissão na RTP Memória.

A+ / A-

A poucas horas do arranque, a Confederação das Associações de Pais (Confap) está preocupada com a forma de garantir a interação entre professores e alunos na telescola.

No dia em que arrancam as aulas pela televisão para estudantes até ao 9º ano, a Confap promete estar atenta ao modo como será feito o acompanhamento aos alunos.

“Vamos estar atentos para perceber porque este ‘Estudo em Casa’ é unidirecional – são conteúdos que chegam aos alunos – mas depois é preciso haver contacto de professores com os alunos para eventuais dúvidas, para propostas de exercícios. O principal no sistema educativo é a ligação professor/aluno e ela tem de continuar a existir. É nisso que temos vindo a insistir e a estar atentos porque ainda não está totalmente ajustado”, disse Jorge Ascensão.

Para este terceiro período, com aulas à distância, a Confap apela aos pais para que façam tudo como se as aulas decorressem nas escolas e que não parem de acompanhar, apoiar e orientar os filhos.

“É acompanhar, saber qual é o horário em que os filhos têm de estar atentos ao que passa na emissão e depois saberem o que está combinado com os professores para terem algum tipo de debate ou trabalho que têm de desenvolver. ‘Acompanhar, apoiar e orientar’. É assim quando eles vão para a escola e é assim com a escola em casa”, referiu.

Jorge Ascensão reforça que os pais “não têm de substituir o professor”, mas têm de “orientar os filhos naquilo que são as suas obrigações em termos de estudo e aprendizagem”.

A Estudo em Casa começa esta segunda-feira com aulas transmitidas na RTP Memória.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    20 abr, 2020 Lisboa 13:53
    Calma! A "Telescola" acabou de recomeçar, depois de décadas parada, e sem tempo para apurar. A primeira semana é para "teste". Depois é que se os erros continuarem, aí têm de se fazer alterações.
  • Manuel
    20 abr, 2020 VISEU 09:40
    É inaceitável que logo numa das primeiras frases da primeira aula a senhora professora de português conjugue o verbo "tar", em vez do verbo estar! É também inaceitável que durante a aula a senhora professora de português tenha utilizada em quase todas as frases o "ok". A expressividade na leitura da história da mosca fosca foi bastante fraca.

Destaques V+