Tempo
|
A+ / A-

​Carlos Pereira. Janela de oportunidade "foi aproveitada por aqueles que querem ser mais espertos que os outros"

20 abr, 2020 - 13:42 • Rui Viegas

Presidente do Marítimo, habitual porta-voz dos clubes da Liga, mostra-se cáustico em relação às equipas que voltaram ao trabalho no relvado. Foi o caso do Sporting, esta segunda-feira. Carlos Pereira fala em desrespeito pelo estado de emergência e pede a intervenção de Proença e seus pares.

A+ / A-

Em causa está o decreto que equipara os futebolistas aos restantes profissionais e atletas de alto rendimento. Houve, no caso do futebol, uma má interpretação da legislação, segundo o presidente do Marítimo.

Em declarações a Bola Branca, Carlos Pereira considera que se desrespeitou o estado de emergência. E também os profissionais de saúde que combatem, na linha da frente, a Covid-19.

"Interpretaram à sua maneira, da forma que quiseram, se calhar até para chamar à atenção para este inimigo invisível. Mas eu vou respeitar muito este inimigo invisível, porque a minha saúde e a dos outros vale muito mais que um ou dois meses de trabalho. E até pelos profissionais de saúde que merecem o nosso aplauso, devíamos respeitar. Nunca é um treino individual, há muitas pessoas envolvidas, como o roupeiro, o pessoal da limpeza, o treinador, o adjunto, a curiosidade dos diretores. Seria melhor dar tempo ao tempo, porque quando regressássemos, regressávamos todos e quase em segurança", defende o presidente do Marítimo, numa crítica implícita a Sporting, da I Liga, e Nacional da Madeira, da II Liga, que já iniciaram atividade no relvado.

Carlos Pereira destaca que o seu ponto tem a ver com garantia de segurança, ou inexistência dela: "Não [há garantia de segurança]! Não há essa distância [social], há sempre a tendência da proximidade e é muito perigoso fazermos essa antecipação".

O líder dos insulares considera que, perante isto, "a Liga já se devia ter pronunciado publicamente". "Parece que já o fez informalmente, mas não é suficiente. No Decreto-Lei pensou-se no treino individual para os Jogos Olímpicos e abriu-se uma janela que foi aproveitada por aqueles que querem ser mais espertos que os outros", atira o dirigente insular, habitual porta-voz dos clubes do chamado "G-15", que nem vê quaisquer vantagens desportivas por se (re)começar a trabalhar primeiro.

"O trabalho no futebol é coletivo e ninguém levará vantagem por antecipar e desrespeitar o estado de emergência", reforça.

Recomeço da Primeira Liga? "Não é pelo dinheiro que devemos regressar"

Em Bola Branca. e seguindo a mesma linha de raciocínio, Carlos Pereira revela, por outro lado, que o regresso à competição só deve acontecer em face da autorização das autoridades de saúde e jamais cedendo a outros interesses. Carlos Pereira, para já, tem dúvidas.

"Se eventualmente se reiniciar o campeonato, o que receio muito, apesar de todos o querermos, não é pelo dinheiro que o devemos fazer regressar. Devemos voltar ao campeonato, se tivermos condições de saúde. [No caso do Marítimo] Após este estado de emergência já estamos a preparar os treinos. Vamos aguardar as indicações das autoridades de saúde. Eles é que são o barómetro e eles é que vão comandar a nossa vida desportiva em termos futuros", acrescenta o presidente do Marítimo, que, a finalizar, deixa uma palavra às "suas gentes" da Madeira.

"Uma palavra de solidariedade e amizade para as pessoas do Funchal e de Câmara de Lobos [cuja freguesia está sob uma cerca sanitária]", conclui.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuel
    21 abr, 2020 Moura 16:21
    Este Senhor tem cá uma azia em relação ao Sporting que é uma coisa impressionante, se fosse o outro clube da 2ª Circular nem se pronunciava.