Tempo
|
A+ / A-

Notícia Renascença

Costa e D. Manuel Clemente preparam levantamento de restrições às celebrações religiosas

19 abr, 2020 - 15:06 • Eunice Lourenço

Primeiro-ministro vai reunir-se com o cardeal patriarca de Lisboa na segunda-feira. Levantamento de restrições impostas por causa da pandemia de Covid-19 só deverá concretizar-se em maio.

A+ / A-

Veja também:


O primeiro-ministro, António Costa, vai reunir-se amanhã, segunda-feira, com D. Manuel Clemente, cardeal patriarca de Lisboa e presidente da Conferência Episcopal Portuguesa (CEP), para começar a preparar o levantamento das restrições às celebrações religiosas face à pandemia de Covid-19.

As restrições atuais, no âmbito do estado de emergência, passam, sobretudo, pela proibição de missas com participação do povo e pelo adiamento de casamentos e batizados. O levantamento destas restrições só deve, contudo, acontecer em maio, como tem sido anunciado pelo Governo para outros setores da vida económica e social.

No dia 13 de março, a Conferência Episcopal de Portugal determinou a suspensão de todas as missas em Portugal, até "ser superada a atual situação de emergência". Ao fim de mais de um mês, as missas poderão voltar a ter assistência.

Ao que a Renascença apurou, a reunião entre António Costa e D. Manuel Clemente terá lugar às 9h00 de segunda-feira, no Seminário dos Olivais, no concelho de Loures. A informação foi entretanto confirmada pelo gabinete do primeiro-ministro, em comunicado.

O que está definido no atual decreto de estado de emergência

No âmbito dos decretos presidenciais de estado de emergência, ficou restrito o direito à liberdade de culto na sua dimensão comunitária.

Os decretos do Governo sobre o estado de emergência têm determinado a proibição da “realização de celebrações de cariz religioso e de outros eventos de culto que impliquem uma aglomeração de pessoas”. É a formulação que se mantém no mais recente decreto que está em vigor.

Quanto aos funerais, que podem ter acompanhamento religioso ou não, o decreto do Governo determina que a sua realização “está condicionada à adoção de medidas organizacionais que garantam a inexistência de aglomerados de pessoas e o controlo das distâncias de segurança, designadamente a fixação de um limite máximo de presenças, a determinar pela autarquia local que exerça os poderes de gestão do respetivo cemitério”.

Morte sem adeus. Como os funerais de Covid-19 transformam o luto
Morte sem adeus. Como os funerais de Covid-19 transformam o luto


O primeiro-ministro já anunciou, nomeadamente, no debate parlamentar sobre a renovação do estado de emergência, que pretende começar a preparar o levantamento de algumas restrições em vários setores em maio e que entende que essa preparação tem de ser feita nesta última quinzena de abril. Por isso, tem reunido e vai continuar a reunir com representantes de vários setores da economia e da sociedade e será no âmbito dessa preparação que também se reúne com o presidente da Conferência Episcopal.

Ao longo do último mês, a CEP foi publicando várias orientações para as cerimónias religiosas, nomeadamente com a proibição de procissões, com as regras para as celebrações do tríduo pascal. No que diz respeito aos casamentos e batizados, a orientação geral foi de adiamento em todos os casos que tal fosse possível. Não sendo possível o adiamento, os casamentos devem ocorrer só com a presença dos noivos e testemunhas e os batizados com a presença dos pais e padrinhos da criança a batizar.

Também a catequese presencial, tanto infantil como de adolescentes, está suspensa e ficará suspensa até ao fim do ano pastoral, acompanhando as orientações que também são dadas para o ensino presencial. Várias dioceses e paróquias prepararam e disponibilizaram, entretanto, meios digitais de acompanhamento dos grupos.

No que diz respeito aos funerais, a orientação geral dada pela Igreja é que exista acompanhamento religiosos sempre que for da vontade da família e, se possível, a celebração da palavra tenha lugar no cemitério.

[atualizado às 16h50]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Manuela
    21 abr, 2020 Lisboa 02:32
    O Presidente Francês disse que o mundo tem o direito de saber o que se passou... O Presidente Americano está a enterrar os que morrem em valas comuns!! Os portugueses estão a pôr os infectados em hotéis de Lisboa! os presos saíram das prisões para tendas de acampamento! São estas as notícias que estão por aqui, por aí e pelo mundo fora! Acho bem que os chineses digam onde mexeram, para ver se outros cientistas mais inteligentes, conseguem arranjar solução, mais rápida, para acabarem com isto!!! Houve um erro da parte deles, isso não quer dizer que tenham que ser eles a descobrir, porque podem levar anos para descobrir? e as pessoas vão morrendo!!! Eles não são inteligentes a ponto de confiarmos neles, à espera que eles resolvam seja o que for! porque se fossem, isto não acontecia! Eu confio que a O Canadá ou a Alemanha tenham cientistas muito mais competentes... Quem é que vai apanhar vacinas Chinesas, depois disto tudo?! Ou eles dizem o que fizeram, ou tem que se pensar uma maneira! por exemplo: ficarem isolados do resto do mundo! Por cá ficamos de novo com a EDP! e os outros que façam todos o mesmo. Os que nasceram cá são cidadãos portugueses, os que vieram de lá, rua com eles. E pronto.
  • 19 abr, 2020 22:37
    Primeiro foi o BEIJO de Judas. Depois foi PILATOS a lavar as mãos. Esta reunião não é DIRETAMENTE para abrir Igrejas, mas sim para BRANQUEAR o que AÍ VEM. Há uma CANTIGA muito antiga " A MIM NÃO ME ENGANAS TU ". Se o Senhor Primeiro Ministro quiser mando-lhe a letra.
  • Padre José Pimenta
    19 abr, 2020 Trofa do Vouga 22:19
    Boa noite. Lamento ter de partilhar que estão a "dar relevo" a uma Agência funerária... Não tenho "urgência" em receber resposta... Lamento que a RR, MCS da Igreja, se "preocupe só com..." O que dá esperança é que Cristo Ressuscitou para TODOS que n'Ele acreditam! Peço que tenham presente que a RR é de TODOS ...e não "só de alguns". Irei partilhar esta informação.
  • 19 abr, 2020 20:19
    Sera que o costa vai mandar espacar a igreja! Sera que os casamentos vao passar a ser por procuracao? Sera que os batizados vao passar a ser feitos com alcool?

Destaques V+