|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19

Portugal bateu recorde de testes a 15 de abril

19 abr, 2020 - 12:11 • Inês Braga Sampaio

Ministra da Saúde alerta para importância de manter cumprimento das regras de distanciamento social: "Um gesto imponderado ou uma saída desnecessária podem deitar tudo a perder."

A+ / A-
Veja também:

A ministra da Saúde confirmou que Portugal tem vindo a intensificar o números de testes à Covid-19. Desde o início de março foram realizaram cerca de 249 mil testes de despiste, mas o recorde foi registado a 15 de abril, passada quarta-feira, com cerca de 13.300 testes.

Na conferência de imprensa diária de atualização da situação pandémica em Portugal, Marta Temido informou que 32% dos 249 mil testes foram realizados em março e 68% abril, o que, no seu entender, "demonstra a intensificação dos testes de diagnóstico nestes últimos 19 dias".

Em abril, a média de testagem tem sido de aproximadamente 9.800 testes por dia.

Marta Temido comunicou, ainda, que, nos últimos dias, foram entregues 900 mil "kits" de testes PCR e 334 mil zaragatoas, bem como 5,5 milhões de máscaras cirúrgicas e 1,2 milhões de máscaras respiradoras. Na segunda-feira, são esperados "kits" de extração de RNA manual.

"As nossas maiores dificuldades estão na entrega de batas", reconheceu.

Segundo a ministra, a taxa de letalidade da Covid-19 está nos 3,5%, acrescentando que a taxa de letalidade na faixa etária acima dos 70 anos está nos 12,7%.

Ministra apela à "maturidade" portuguesa. "Nada será como dantes"


A governante aproveitou para alertar para a importância de manter o isolamento social, apesar de os números dos últimos dias inspirarem otimismo e de o pico da pandemia já ter passado, em Portugal.

"Ter boa saúde mental é também ter capacidade de resistir e permanecer num rigoroso cumprimento da manutenção do isolamento social até que tenhamos mais certeza da estabilidade da nossa situação. Um gesto imponderado ou uma saída desnecessária podem deitar tudo a perder. Todos gostaríamos de estar a viver as nossas vidas de outra forma, mas temos de ser muito ponderados", sublinhou.

Marta Temido salientou acreditar que os portugueses "têm maturidade suficiente para saberem que, até à descoberta de uma vacina ou de uma cura", Portugal e o mundo não estão a salvo do novo coronavírus.

Qualquer aliviamento ou reposicionamento futuro de medidas de contenção reger-se-á por três marcos, explicou a ministra: avaliação epidemiológica, capacidade do Sistema Nacional de Saúde e vigilância.

"Toda a nossa ação tem de ter presente que até a doença estar erradicada e face às suas características, nada será como dantes. Mas como não podemos fechar a sociedade, temos de perceber que temos de combinar a confiança necessária para continuarmos a responder com a abstenção de comportamentos imprudentes", sublinhou Marta Temido.

A governante anunciou, ainda, que a Direção-Geral da Saúde publicou uma recomendação dirigida à saúde mental.

Em Portugal, há 20.206 casos confirmados do novo coronavírus e 714 óbitos, segundo a atualização da DGS.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.