Tempo
|
A+ / A-

Balanço DGS. Mais de 700 mortos e ultrapassada barreira dos 20 mil infetados

19 abr, 2020 - 11:47 • Redação

Registaram-se 27 óbitos nas últimas 24 horas, mas o número de novos casos diários diminui ligeiramente.

A+ / A-

Veja também:


Portugal regista 714 óbitos (mais 27 em 24 horas) e 20.206 infetados (mais 521), segundo o relatório diário da Direção-Geral de Saúde deste domingo.

A região Norte é a que regista o maior número de mortos (409), seguida pelo Centro (164), pela região de Lisboa e Vale Tejo (126), do Algarve (10) e dos Açores (5), adianta o relatório da situação epidemiológica, com dados atualizados até às 24h00 de sábado.

Das mortes registadas, 470 tinham mais de 80 anos, 151 tinham idades entre os 70 e os 79 anos, 65 entre os 60 e 69 anos, 20 entre 50 e 59 e oito entre os 40 e os 49.

A grande maioria dos infetados está a recuperar em casa, totalizando 18.963, mais 531 relativamente a sábado (+2,9%).

O boletim epidemiológico revela ainda que 4.959 pessoas aguardam o resultados das análises laboratoriais e 27.947 estão sob vigilância das autoridades.

O número de pessoas internadas desceu de 1.253 para 1.243 e o número de pacientes em unidades de cuidados intensivos mantém-se nos 224.

Já o número de casos recuperados mantém-se nos 610. Desde 1 de janeiro, registaram-se 187.604 casos suspeitos, dos quais 4.959 aguardam resultado dos testes.

De acordo com o boletim, 52% dos doentes positivos ao novo coronavírus apresentam como sintomas tosse, 38% febre, 27% dores musculares, 25% cefaleia, 21% fraqueza generalizada e 16% dificuldade respiratória. Esta informação refere-se a 85% dos casos confirmados.


Quais as idades mais afetadas?

A faixa etária mais afetada pela doença é a dos 50 aos 59 anos (3.510), seguida da faixa dos 40 aos 49 anos (3.473), e das pessoas com mais de 80 anos, em que há 3.082 casos.

Há ainda 2.831 doentes com idades entre 30 e 39 anos, 2.444 entre os 60 e 69 anos, 2.149 entre os 20 e os 29 anos e 1.826 com idades entre 70 e 79 anos.

A DGS regista ainda 345 casos de crianças até aos nove anos e 536 de jovens com idades entre os 10 e os 19 anos.

O decreto presidencial que prolonga até 2 de maio o estado de emergência iniciado em 19 de março prevê a possibilidade de uma "abertura gradual, faseada ou alternada de serviços, empresas ou estabelecimentos comerciais".

Nesta altura, o país tem ativa uma cerca sanitária em Câmara de Lobos, que se segue às que já foram implementadas em Ovar (levantada ontem) e nos seis concelhos da Ilha de São Miguel nos Açores, que se mantém, pelo menos, até 1 de maio.

A pandemia já fez mais de 160 mil mortos em todo o mundo e cerca de dois terços dessas mortes ocorreram na Europa, de acordo com um balanço feito pela agência France-Presse (AFP).

Em termos de número de casos de infeção, foram contabilizados 2.331.318 casos, dos quais 1.151.820 foram registados no continente europeu. Mais de 500 mil doentes foram considerados curados.

Os Estados Unidos são o país que regista maior número de mortes (39.090), à frente da Itália (23.227), a Espanha (20.453), a França (19.323) e o Reino Unido (15.464).

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.