Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Em plena pandemia, Trump suspende financiamento à OMS

14 abr, 2020 - 23:30 • Joana Azevedo Viana , Tiago Palma

Nos últimos dois anos, contribuições dos EUA representaram 15% do orçamento total da organização à frente do combate ao novo coronavírus.

A+ / A-

Veja também:


O Presidente norte-americano, Donald Trump, anunciou esta terça-feira que os EUA vão suspender o financiamento à Organização Mundial de Saúde (OMS).

Na semana passada, Trump tinha acusado a organização transnacional de ser demasiado favorável à China, ameaçando fechar a torneira das contribuições financeiras à OMS.

A ameaça foi cumprida agora. "A realidade é que a OMS falhou em obter, analisar e partilhar informações adequadamente e de uma forma transparente e em bom tempo", disse o chefe de Estado em conferência de imprensa.

"Vou ordenar à minha administração que corte o nosso financiamento à OMS enquanto é feita uma avaliação ao seu papel no encobrimento da transmissão do coronavírus", acrescentou Trump.

Para o Presidente dos EUA, "uma das decisões mais mortíferas" da OMS foi "ter-se oposto à interrupção de viagens da China e de outras nações" inicialmente afetadas pelo novo coronavírus. "Felizmente não fiquei convencido e suspendi essa viagens, salvando um número incontável de vidas", atirou depois.

Na última quarta-feira, o diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, pediu que não se politize a luta contra a Covid-19, porque não permite "marcar pontos políticos", e insistiu para que "se ponha em quarentena a politização do vírus, se não querem mais mortes não politizem".

Foi a reação de Ghebreyesus às críticas anteriores de Trump à organização, considerando o Presidente norte-americano que a mesma tem favorecido demasiado a China e tem gerido mal o combate à Covid-19. Na altura, o responsável agradeceu aos EUA o seu "generoso apoio" na luta contra a pandemia, mas sublinhou que "na OMS não fazemos política".

Nos últimos dois anos, os EUA contribuíram com 893 milhões de dólares para o funcionamento da organização, de acordo com o website oficial da OMS. Esse valor representa 15% do seu orçamento total.

Criada em 1948, a OMS é uma organização internacional autónoma que funciona sob enquadramento da Organização das Nações Unidas (ONU).

O novo coronavírus, responsável pela pandemia da covid-19, já provocou mais de 120 mil mortos e infetou mais de 1,9 milhões de pessoas em 193 países e territórios. Dos casos de infeção, cerca de 402 mil são considerados curados.

Depois de surgir na China, em dezembro, o surto espalhou-se por todo o mundo, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

Em Portugal, segundo o balanço feito hoje pela Direção-Geral da Saúde, registam-se 567 mortos, mais 32 do que na segunda-feira (+6,%), e 17.448 casos de infeção confirmados, o que representa um aumento de 514 (+3%).


Os números da Covid-19 no mundo:

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Malaquias Paulo
    21 abr, 2020 Cabinda 06:57
    As duas potências se cinhecem
  • Zé da Costa
    16 abr, 2020 Coimbra 10:54
    Muito bem sr. presidente, a OMS não passa de um comício permanente da internacional socialista, então a internacional socialista que pague. Que pague o tóino guterres e aquele presidente francês que namora com a avó...