O silêncio do Papa, luz e sombra na Via Sacra

11 abr, 2020 - 01:30 • Aura Miguel , Miguel Rato

O Papa Francisco presidiu à Via Sacra numa praça de São Pedro vazia, esta sexta-feira Santa. Foi a primeira vez, desde 1964, que a cerimónia não decorreu no Coliseu de Roma. Um ex-recluso e o diretor de uma cadeira, polícias, médicos e enfermeiros levaram a cruz. As meditações foram escritas por reclusos, pais de uma jovem assassinada, um padre acusado e depois ilibado, um juíz, um polícia, entre outros. Francisco rezou pelos “incontáveis lugares de dor” da humanidade.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.