|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Pandemia de Covid-19

Falta “apoio fiscal coordenado às empresas” e “mutualização da dívida”, critica Durão Barroso

07 abr, 2020 - 01:30 • Redação

Antigo primeiro-ministro português não acredita que a solução passe pelos eurobonds, ou coronabonds, porque há vários países que se opõem.

A+ / A-

Veja também:


O antigo presidente da Comissão Europeia, Durão Barroso, lamenta que, no combate à pandemia de Covid-19, esteja a faltar “coordenação do apoio fiscal às empresas”.

Durão Barroso acrescenta que na União Europeia (UE) também “falta acordo sobre a mutualização da dívida".

Apesar disso, o ex-primeiro-ministro português acredita que "de alguma forma será encontrada uma solução”, ainda que não com os chamados 'coronabonds'.

“Não penso que serão os eurobonds", declarou o antigo primeiro-ministro português esta segunda-feira, na conferência da Fundação Gulbenkian sobre repostas para combater o impacto do novo coronavírus. “Não estão suficientemente prontos e alguns países opõem-se de uma forma muito forte."

Na mesma conferência, aquele que dirigiu o executivo comunitário entre 2004 e 2014 fez o exercício de olhar de fora para o bloco europeu.

"Penso que a União Europeia está a passar por uma crise existencial. Já o disse e não devemos ser complacentes. Há riscos que vêm maioritariamente da polarização das opiniões públicas dos nossos países.”

Durão Barroso detalha: “De acordo com as minhas fontes, agora é pior do que no passado. Dizem-me que a atmosfera entre os líderes no Conselho Europeu é pior do que no passado. E esta divisão entre Sul e Norte não é saudável. Mas penso que no fim de contas, apesar disso, se houver suficiente liderança haverá um compromisso. E obter compromisso é a forma como geralmente a União Europeia toma decisões".

Declarações "repugnantes" e de "mesquinhez recorrente". Costa critica ministro holandês
Declarações "repugnantes" e de "mesquinhez recorrente". Costa critica ministro holandês
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.