|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus

Comissão Europeia permite a Portugal injetar 13 mil milhões de euros para financiar a economia

04 abr, 2020 - 17:06 • João Carlos Malta com Reuters

A Comissão Europeia criou uma série de pacotes de apoio estatal para a Grécia, a Polónia e Portugal para ajudar a amenizar o impacto económico do coronavírus.

A+ / A-

Veja também:


A Comissão Europeia (CE) deu autorização este sábado a que o Estado português possa injetar 13 mil milhões de euros para combater o impato económico da crise do novo coronavírus. A CE aprovou também pacotes de ajuda que Grécia e a Polónia podem pôr em marcha.

A ajuda será feita através de financiamentos de milhares de milhões de euros dos respetivos estados, através de empréstimos e garantias.

Segundo a vice-presidente da Comissão Europeia, a vice-presidente executiva da Comissão, Margrethe Vestager, este apoio a Portugal vai permitir ao o país dar "apoios diretos e garantias públicas sobre empréstimos para ajudar pequenas e médias empresas, e as grandes empresas e assim cobrir as necessidades de investimento e capital".

A Comissão, que aplica as regras que proíbem as ajudas de estado na UE, aliviou esta legislação em março de forma a permitir que os governos da UE apoiem empresas e bancos. Essa é a resposta à paragem da produção na Europa, e às regras de confinamento que muitos países adotaram para impedir a propagação do vírus.

Numa série de declarações no final da sexta-feira e no sábado, a Comissão aprovou um programa de auxílio estatal de 13 mil milhões de euros para a economia portuguesa, um plano de garantias estatais de 22 mil milhões de euros para a Polónia e um apoio de dois mil milhões de euros para a economia grega.

Os esquemas de apoio aos três estados foram criado para não distorcer as regras concorrência da UE.

"Esse esquema de garantia dadas à Polónia irá ajudar as empresas polacas afetadas pela atual crise de coronavírus e cobrir as suas necessidades imediatas de capital e de investimento", afirmou em comunicado a vice-presidente executiva da Comissão, Margrethe Vestager.

No caso grego, segundo a Reuters, o apoio europeu servirá para o país dar apoios estatais às empresas.


Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Cidadao
    04 abr, 2020 Lisboa 21:15
    Vale tudo para não se voltar a falar em Eurobonds...