|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

EUA

Coronavírus. Trump: "Haverá infelizmente muita morte"

04 abr, 2020 - 22:56 • Redação

Os Estados Unidos ultrapassaram este sábado a barreira dos 300.000 casos de infeção.

A+ / A-

Veja também:


Os Estados Unidos ultrapassaram este sábado a barreira dos 300.000 casos recenseados de infeção com o novo coronavírus, segundo uma contagem da universidade norte-americana Johns Hopkins.

A pandemia já provocou pelo menos 8.162 mortos no país, segundo os números atualizados pela universidade. O número de 200.000 casos confirmados de covid-19, a doença provocada pelo novo coronavírus, tinha sido atingido na quarta-feira.

Este sábado, no balanço de situação à pandemia de covid-19, o Presidente norte-americano classificou o combate ao novo coronavírus como "a maior batalha dos Estados Unidos desde 1917". Trump explicou que esta semana, numa altura em que o país tem o maior número de casos em todo o mundo, “será provavelmente a pior”, pelo que “haverá infelizmente muita morte”.

“Todas as decisões que fazemos são para salvar vidas. Queremos a menor perda de vida possível. Usaremos todo o nosso poder, autoridade e recursos para manter os nossos cidadãos saudáveis e seguros. Queremos terminar esta guerra", explicou Donald Trump, lembrando, depois, que a economia continua a ser uma prioridade: “Vamos abrir o nosso país novamente. Não queremos continuar nisto durante meses e meses e meses. Vamos abrir o nosso país novamente”.

O novo coronavírus já infetou mais de 1,2 milhões de pessoas em todo o mundo, das quais morreram mais de 60 mil.

O continente europeu, com cerca de mais de 610 mil infetados e mais de 44 mil mortos, é aquele onde se regista o maior número de casos, e a Itália é o país do mundo com mais vítimas mortais, 15.362 óbitos em 124.632 casos confirmados até hoje.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.