Tempo
|
A+ / A-

Mais de 100 pessoas detidas no primeiro período do estado de emergência

03 abr, 2020 - 16:36 • Dina Soares

As forças de segurança fizeram 108 detenções. As mais graves, de acordo com o ministro da Administração Interna, foram as 29 relativas à violação das obrigações de confinamento

A+ / A-

Mais de 100 pessoas detidas no primeiro período do estado de emergência e o apelo é para que o segundo período corra ainda melhor do que o primeiro.

No final da reunião da Estrutura de Monitorização, a entidade que acompanha a aplicação das medidas previstas para esta época, o ministro da Administração Interna apelou aos portugueses para serem ainda mais determinados no respeito pelo confinamento nesta segunda fase.

Eduardo Cabrita fez o balanço das ocorrências durante os primeiros quinze dias do estado de emergência. As forças de segurança fizeram 108 detenções. As mais graves, de acordo com o ministro, foram as 29 relativas à violação das obrigações de confinamento, “porque punham em causa a saúde e a segurança tanto do próprio como dos que com ele contactaram”.
As tentativas de violação da cerca sanitária deram origem a dez detenções. Foram ainda detidos comerciantes que mantiveram os seus estabelecimentos abertos contra a lei.
O ministro falou também dos repatriamentos. Mais de quatro mil portugueses pediram o auxílio do Estado para regressarem. Três quartos já cá estão. Os restantes mil deverão regressar nos próximos dias.

Em relação ao controlo das fronteiras terrestres entre Portugal e Espanha, Eduardo Cabrita revelou que 132 mil pessoas foram controladas e 1126 foram impedidas de entrar no país.

O responsável pela Administração Interna recordou ainda as restrições acrescidas que vão vigorar durante o período da Páscoa, entre os dias 9 e 13 de abril, avisando as entidades patronais para prepararem, desde já, as justificações que os seus trabalhadores têm que apresentar no caso de terem que viajar para fora do seu concelho por motivos de trabalho.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+