António Costa. Estado de emergência "não é prisão domiciliária"

03 abr, 2020 - 13:20 • Eunice Lourenço

Em entrevista à Renascença, o primeiro-ministro diz que abril será o mês mais crítico da propagação da Covid-19 em Portugal e fala numa "longuíssima maratona" na luta mundial contra a pandemia. António Costa avança uma data limite para o ensino secundário presencial poder decorrer normalmente, admite que alguns lares do país, "porventura, não terão antecipado as medidas de contenção" e diz-se chocado com a morte de um ucraniano, alegadamente às mãos de funcionários do SEF.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.