|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Pandemia de Covid-19

Linha de apoio à economia. Em três semanas foram aprovados mais de 800 créditos

02 abr, 2020 - 22:26 • Sandra Afonso

Ministério de Siza Vieira cita 817 operações de crédito aprovadas entre o dia 12 de março e esta quinta-feira, num total de 365 milhões de euros.

A+ / A-

Veja também:


Em três semanas foram aprovados mais de 800 créditos pela linha de apoio à economia, criada pelo Governo para fazer face à pandemia de Covid-19 em Portugal.

As contas são do Ministério de Siza Vieira e apontam para 817 operações de crédito já aprovadas, desde o dia 12 de março até esta quinta-feira, 2 de abril, num valor valor total de 365 milhões de euros. Cada processo demora em média cinco dias a ser decidido.

O Ministério da Economia diz ainda que a procura tem sido elevada, o que obrigou o governo a reagir. A linha de crédito inicial, "Capitalizar 2018-Covid-19", conta com o dobro da dotação desde o dia 27 de Março, passou de 200 para 400 milhões. Além disso, foram criadas quatro novas linhas, específicas para as áreas mais afectadas, que retiram as empresas destes sectores desta primeira linha.

As quatro novas linhas têm uma dotação conjunta de 3 mil milhões de euros e destinam-se à Restauração e similares, Turismo, Agencias de Viagens e Organizadores de eventos e Indústria. O executivo já notificou Bruxelas, para avançar com apoios à tesouraria também para o Comércio e Serviços.

Nas novas quatro linhas de crédito, cada empresa pode candidatar-se a um valor máximo de 1,5 milhões de euros, por quatro anos e garantia até 90%. Os juros podem ter taxa fixa ou variável, acrescidos de um spread até 1 ponto (1 ano), até 1,25 pontos (1 a 3 anos) ou até 1,5 pontos (mais de 3 anos). O crédito tem um periodo de carência de um ano, com capital e juros, e as candidaturas são feitas junto dos bancos.

Na primeira linha, "Crédito Capitalizar 2018-COVID-19", lançada a 12 de março, o financiamento máximo é também de 1,5 milhões, na Dotação Plafond Tesouraria.

A contragarantia é a 100% e o prazo da operação varia com o destino, para fundo de maneio é de 4 anos, para tesouraria vai de 1 a 3 anos. A taxa de juro pode também ser fixa ou variável, acrescida de um spread. As candidaturas são, mais uma vez, realizadas junto da banca.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • VITOR GOMES
    03 abr, 2020 PORTO 17:18
    O crédito e endividamento não resolve o problema das empresas e das famílias. Pelo contrário, aumenta a pobreza!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!