Tempo
|
A+ / A-

Covid-19

Antes e depois da pandemia. Mapa de voos mostra céus mais vazios por toda a Europa

28 mar, 2020 - 17:54 • Inês Rocha

Queda dramática no número de voos realizados é visível no site Flightradar24, que mostra dados de voos em tempo real. Na sexta-feira, saíram do Porto apenas 3% dos voos marcados.

A+ / A-


Arraste a linha no centro para ver as diferenças entre o céu europeu a 28 de feveriro de 2020 e a 28 de março de 2020

Veja também:


Esta sexta-feira, o site Flightradar24, que regista os voos que são realizados em todo o mundo, contou 89.276 voos nos céus mundiais – o número mais baixo desde que começou a fazer estatísticas, em 2016.

Se olharmos para a média de voos semanal em todo o mundo, esta teve uma queda de 44%, desde o dia 10 de março até ao dia 27.

Esta é uma das consequências das medidas que vários países estão a tomar para controlar a pandemia de Covid-19, que já afeta 199 Estados e territórios.

Segundo a IATA (Associação Internacional de Transporte Aéreo), 1,1 milhões de voos foram cancelados até 30 de junho de 2020, o que poderá significar uma queda de receitas de 44% para as empresas de aviação comercial.

Em Portugal, a queda do número de voos foi acentuada.

No dia 17 de março, o Governo decidiu suspender todos os voos internacionais dos aeroportos portugueses com algumas exceções: mantinham-se voos para a União Europeia, para EUA, Canadá, África do Sul e países de língua oficial portuguesa.

Dois dias depois, a TAP anunciou a suspensão de voos realizados para 75 destinos até ao dia 19 de abril. Ou seja, até essa data, a TAP reduziu de 90 para 15 as rotas praticadas. Também a Ryanair decidiu reduzir 80% das rotas, e a partir do dia 25 de março passou a manter praticamente todos os seus aviões em terra.

Várias outras companhias aéreas anunciaram cancelamentos.

Esta sexta-feira, no aeroporto Humberto Delgado, em Lisboa, foram realizados apenas 10% dos voos que estavam marcados.

Já no aeroporto Francisco Sá Carneiro, no Porto foram realizados apenas 3% dos voos agendados.

Portugueses retidos no estrangeiro sem conseguir regressar. "Estamos desesperados"
Portugueses retidos no estrangeiro sem conseguir regressar. "Estamos desesperados"
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+