|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Abandono animal não aumentou devido ao coronavírus. Não há risco de transmissão

27 mar, 2020 - 07:20 • Carla Fino

Provedoria do Animal de Lisboa lançou a campanha de sensibilização “Todos vamos ficar bem e eles também". O objetivo é prevenir casos de abandono dos animais.

A+ / A-

Veja também:


O pânico de contágio pelo novo coronavírus tem levado muitas pessoas a abandonar os seus animais de companhia. Situação que tem sido relatada em vários países como a China, Itália e em Espanha. Para evitar repetições destas, em Portugal foram criadas campanhas a pensar naqueles que não têm voz e muitos deles, companhia dos grupos de risco.

Para já, e de acordo com os dados enviados pela GNR à Renascença, não há um acréscimo de abandono de animais associado ao novo coronavírus. Mesmo estando atenta, até porque o abandono é crime, a Guarda Nacional Republicana deixa o apelo nas redes sociais numa campanha de sensibilização.

Mas os donos podem estar sossegados, não há qualquer ligação de contágio da Covid-19 entre animais e humanos. O veterinário Bruno Rôlo explica que a cadeia de contágio cruzado entre animais e humanos não está em causa. Não existe nenhuma evidência científica, pelo que não faz sentido nenhum o abandono animal ou a entrega a outras entidades e instituições que recebem animais abandonados”.

A Organização Internacional de Sanidade Animal (OIE) tem já publicado orientações nesse sentido. O que é importante nesta altura, bem como nas outras, diz Bruno Rôlo, “é assegurar o bem-estar animal e portanto, a nível dos seus cuidados de saúde, o decreto governamental que estabelece o estado de emergência, prevê a circulação das pessoas com os animais de companhia para os seus passeios higiénicos, como também se poderem deslocar a consultas de assistência médico-veterinárias”.

"Todos vamos ficar bem e eles também"

Uma medida do governo que a Provedora do Animal de Lisboa aplaude. Marisa Reis sublinha que “houve este cuidado de tratar estes animais como seres que podem sofrer, que podem ser prejudicados com toda esta crise, tal como nós “.

Apesar do abandono de animais não ser uma situação de hoje e para que a pandemia não seja uma desculpa, a Provedoria do Animal de Lisboa lançou uma campanha de sensibilização: “Todos vamos ficar bem, e eles também”.

Está pensado, também, um plano em colaboração com várias entidades, que acautela que os animais,nos casos em que os donos estiverem contagiados com o novo coronavírus, não acabem sozinhos em casa: “Temos um plano de emergência que estamos a construir com as associações zoófilas e com outras entidades com quem colaboramos”. A ideia, explica Marisa Reis, “é que os animais sofram o menos possível com esta ausência, quer dos seus detentores, quer dos seus cuidadores”.

A Provedoria do Animal de Lisboa estabeleceu uma parceria com o Provedor dos Animais de Almada para, em caso ser necessário resgatar um animal que tenha ficado em casa porque o seu dono teve de ser internado, para “acionar uma equipa que, com os devidos cuidados, poderá resgatar esse animal”.

Não há assim desculpa para abandonar os animais. São os primeiros na linha dos afetos, não podem ser os últimos a sofrerem com este novo isolamento forçado. "Vamos ficar todos bem, e eles também".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • mewtwo
    27 mar, 2020 11:35
    Estão a tratar bem os animais para servirem de alimento quando bater a fome.