|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus. Acabou a corrida aos supermercados, diz o Governo

25 mar, 2020 - 21:44 • Hugo Monteiro

Garantia do Secretário de Estado do Comércio que insiste não se justificar avançar com medidas de racionamento de produtos alimentares.

A+ / A-

Veja também:


O Governo admite que há um progressivo cenário de retoma de normalidade na procura de supermercados e hipermercados. O quadro foi traçado no final de uma reunião do grupo de acompanhamento e avaliação das condições de abastecimento e retalho.

Em entrevista à Renascença, o secretário de Estado do Comércio confirma que a afluência aos supermercados tem descido, em comparação com as últimas semanas.

João Torres confirma que, "ao longo dos últimos dias tem havido uma regularização dos níveis de procura no que diz respeito ao retalho alimentar".

O governante diz que os consumidores portugueses tem tido uma postura de "maturidade e consciência" e que, dentro “deste quadro de exceção”, está a ser retomada "alguma normalidade" em supermercados e hipermercados.

Nestas declarações à Renascença, João Torres afasta, por enquanto, "a necessidade de haver racionamento de produtos alimentares". O secretário de Estado do Comércio diz não haver "perspetiva de qualquer rutura de stocks".

Em Portugal, há 43 mortes, mais 10 do que na véspera (+30,3%), e 2.995 infeções confirmadas, segundo o balanço feito esta quarta-feira pela Direção-Geral da Saúde, que regista 633 novos casos em relação a terça-feira (+26,8%).

Dos infetados, 276 estão internados, 61 dos quais em unidades de cuidados intensivos, e há 22 doentes que já recuperaram.

Evolução do coronavírus em Portugal

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.