Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus. Padre DJ usa redes sociais para partilhar música e mensagens em tempo de pandemia

25 mar, 2020 - 19:41 • Lusa

Padre Guilherme Peixoto aproveita o confinamento preventivo para, a partir de casa, mostrar alguns dos seus ‘sets' através da internet, e dirigir mensagens de sensibilização de como lidar com a Covid-19

A+ / A-

Veja também:


Um padre da Póvoa de Varzim, distrito do Porto, está a usar as redes sociais para transmitir mensagens de sensibilização sobre a pandemia da covid-19 e partilhar algumas das suas atuações como DJ de música eletrónica.

Guilherme Peixoto, responsável pelas paróquias das freguesias de Laúndos e Amorim, desenvolveu o gosto por este estilo musical há vários anos, partilhando-o na comunidade ao atuar como DJ num espaço da paróquia, mas, também, em vários eventos para qual é convidado.

Agora, com as regras de confinamento ditados pela propagação do coronavírus, decidiu, a partir de casa, mostrar alguns dos seus ‘sets' através da internet, transmitindo-os nas redes social como forma de entretenimento para quem está a cumprir quarentena, mas também para complementar as suas mensagens de sensibilização de como lidar com pandemia.

"Comecei a fazer uns vídeos com as normas de prevenção, e apesar de não ser fácil mudar os hábitos, tiveram muitas visualizações e partilhas. Percebi que se mostrasse algumas destas brincadeiras como DJ podia ter ainda mais alcance na mensagem que queria transmitir e alertar para a gravidade da situação", disse o sacerdote à Agência Lusa.

Guilherme Peixoto, de 45 anos, acredita que esta é uma forma de "apelar a que as pessoas fiquem em casa e assim protejam a sociedade", usando um formato que pode ser "lúdico, mas ao mesmo tempo informativo", onde inclusive partilha questões práticas relacionadas com a Igreja e também as atividades do seu dia à dia.

"Os vídeos têm tido milhares de visualizações, inclusive em outros países como Inglaterra e Brasil. Tenho até médicos amigos que nos comentários vão dando conselhos e alertando para toda esta situação. O importante é educar as pessoas, pois se fizesse um vídeo muito sério ninguém ia ver até ao fim", disse o padre, que é natural de Guimarães.

Apesar de há mais de uma década ter este passatempo como DJ, nomeadamente num espaço da paróquia de Laúndos, apelidado de ?Ar de Rock' que funciona no verão, Guilherme Peixoto garantiu que "nunca tinha feito vídeos a passar música ao vivo", mas tem sentido que as redes sociais têm permitido "uma proximidade com a comunidade que nunca antes existiu".

O sacerdote, que é também responsável pelas comunicações sociais do Arciprestado da Póvoa de Varzim e Vila do Conde, tem ajudado outras paróquias da região a usar estas plataformas digitais para transmitir a mensagem da igreja e divulgar as homilias.

"Muitos padres e paroquias não tem conhecimentos nem equipamentos para usar estas ferramentas, e tenho-os ensinado e ajudado a adaptarem-se. Além de conseguirmos divulgar as missas e o terço do Santuário de Fátima e do nosso Arcebispo D. Jorge Ortiga, fizemos uma parceira com um jornal local para todos os dias, numa diferente igreja do concelho, transmitir-nos a homilia e o evangelho", descreveu Guilherme Peixoto.

O clérigo, que pode ser pesquisado na internet como DJ Padre Guilherme, garantiu que continuará com esta atividade nas redes sociais, até porque acredita "que mesmo depois das coisas melhorarem as igrejas vão demorar a ser reabertas".

"Provavelmente as igrejas serão dos últimos espaços a reabrirem. Não vamos passar de um estado de isolamento a ter as igrejas cheias de gente. Ainda assim, quando isto acabar acho que vamos todos conseguir comunicar melhor e, sobretudo, sermos mais solidários e preocupados com o próximo. E muita gente vai precisar de ser ajudada", desabafou o sacerdote.

Enquanto isso, o padre Guilherme Peixoto continuará a informar e entreter comunidade com as suas atuações como DJ, que estão programadas para sexta-feira à noite e domingo à tarde.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.