|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

​Quinze militares infetados com coronavírus

25 mar, 2020 - 17:11 • Ana Rodrigues

Um doente está internado no Hospital Militar das Forças Armadas (HFAR). É a situação mais crítica.

A+ / A-

Veja também:


Sobe para 15 o número de militares infetados com o novo coronavírus até esta quarta-feira, apurou a Renascença junto de fonte do Ministério da Defesa.

Um doente está internado no Hospital Militar das Forças Armadas (HFAR). É a situação mais crítica.

Os “casos ativos” são assim 14, segundo confirma o gabinete do ministro da Defesa, que refere que “todos têm bom prognóstico e só um é que está internado no HFAR”.

“Os restantes encontram-se em isolamento social no domicílio”, acrescenta a mesma fonte.

A nível nacional confirmam-se, até esta quarta-feira, 2.995 casos de pessoas infetadas com o novo coronavírus, mais 633 do que na terça-feira. Este número indica que há um aumento de 27% de casos confirmados no país, nas últimas 24 horas.

Foram registadas 43 vítimas mortais, mais do 10 do que no dia anterior. Há ainda registo de 22 pessoas recuperadas.

A DGS informa ainda que mantém em vigilância 13.624 casos.

Uma atualização da tarde desta quarta-feira aponta para a existência de nove elementos da GNR infetados com o novo coronavirus e 277 em quarentena ou isolamento.

Não há noticia de que a GNR tenhe encerrado qualquer espaço.

No caso da PSP, há 15 contagiados - 12 são policias, e três sã0 técnicos civis. Na maioria dos casos, terão sido contagiados fora do contexto profissional.

A PSP tem ainda 450 elementos em confinamento obrigatório ou vigilância activa e uma esquadra encerrada - a de segurança ferroviária das Devesas.

[notícia atualizada às 17h30 com números referentes a GBR e PSP]

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.