|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Rui Rio abandonou plenário porque deputados não cumpriram orientações

24 mar, 2020 - 17:23 • Eunice Lourenço

Estava deputados sociais-democratas a mais na sala de sessões, o que levou a repreensão por parte de Ferro Rodrigues.

A+ / A-

Veja também:


O PSD devia ter apenas 18 deputados na bancada durante o debate quinzenal desta terça-feira, mas estavam mais, o que levou a uma repreensão por parte do presidente da Assembleia da República, Ferro Rodrigues. O líder do partido, Rui Rio, deu razão a Ferro e foi o primeiro a sair da sala, naquilo que foi um momento inusitado do debate quinzenal.

O caso teve origem na intervenção do deputado social-democrata Ricardo Batista Leite que lamentou que o Parlamento continue a funcionar. O PSD, recorde-se, tem defendido que o Parlamento suspenda funções e passe a funcionar apenas com a comissão permanente.

Depois da intervenção do deputado e das respostas do primeiro-ministro às suas perguntas, Ferro Rodrigues tomou a palavra para lembrar o que tinha sido decidido em conferencia de líderes para a sessão desta terça-feira: que na sala de sessões devia estar apenas um quinto dos deputados, que é o quórum mínimo de funcionamento. O presidente do Parlamento disse que as regras tinham sido aprovadas por uma larga maioria e atirou o incumprimento à cara do PSD, dizendo que o partido tinha 36 deputados na sala quando só devia ter 18. Afinal, estavam somente 21 na bancada social-democrata; 36 era o número de deputados registados.

Rui Rio, líder do partido e da bancada, pediu a palavra para dar razão a Ferro Rodrigues e dar também ele um “ralhete” aos seus deputados que não tinham cumprido as instruções. Lembrou que, de facto, tem defendido que o Parlamento funcione apenas em comissão permanente, mas assumiu que o seu grupo parlamentar não tinha estava a cumprir o que tinha decidido na segunda-feira na conferencia de líderes. E fez questão de ser o primeiro a sair da sala de sessões para dar o exemplo.

O líder do PSD tinha feito contactos no sentido de só estarem 16 deputados sociais-democratas na sala. Contudo, vários deputados acharam que não fazia sentido estarem no Parlamento e ficarem nos seus gabinetes a acompanhar o debate e não na sala de sessões, pelo que foram para o plenário.

“Não os posso pôr lá foram, só posso dar o exemplo. Se não saem eles, saio eu”, justificou Rui Rio depois de terminar o debate. O presidente do PSD reafirmou a defesa da comissão permanente como modo de o Parlamento funcionar durante a epidemia de Covid-16. “Discordamos completamente da forma como o Parlamento está a funcionar. Comissão permanente é que faz sentido”, disse Rui Rio. Mas, acrescentou, tendo sido outro o funcionamento decidido na conferencia de líderes “embora discordando, temos de cumprir”.

Ora, o funcionamento decidido faz com que os deputados entrem na sala de sessões para assinar a presença e depois tenham de sair de forma a ficaram poucos deputados na sala. “Fica perante a consciência de cada um”, rematou o líder do PSD, lamentando que vários dos seus deputados tenham ficado “permanentemente” no plenário.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.