|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Governo japonês pede adiamento dos Jogos Olímpicos

24 mar, 2020 - 13:06 • Lusa

Notícia avançada pela televisão NHK. Primeiro-ministro do Japão pretende que decisão seja tomada o mais rápido possível.

A+ / A-

O primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, decidiu propor ao Comité Olímpico Internacional o adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio 2020 por um ano devido à pandemia da Covid-19, anunciou, esta terça-feira, a televisão pública japonesa NHK.

Segundo a mesma fonte, citada pelas agências internacionais, esta é a proposta em discussão na conversa por videoconferência entre o primeiro-ministro japonês e o líder do Comité Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, que está a decorrer.

A NHK refere ainda que Shinzo Abe quer que a decisão do COI seja tomada "o mais rápido possível". No domingo, o COI anunciou que vai deliberar num período de quatro semanas sobre a realização dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, que deverão decorrer entre 24 de julho e 09 de agosto, devido à pandemia da Covid-19, com o adiamento na agenda, mas não o cancelamento.

Na segunda-feira, o primeiro-ministro japonês, admitiu pela primeira vez que "a decisão de adiar poderá ser inevitável", reconhecendo que "a prioridade são os atletas". O Canadá e a Austrália já anunciaram que, caso os Jogos se realizem nas datas previstas, os seus atletas não deverão participar.

O Comité Olímpico de Portugal (COP) pediu na segunda-feira firmeza e rapidez no anúncio de uma solução de adiamento dos Jogos Olímpicos Tóquio2020, numa carta enviada ao presidente do COI.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.