Tempo
|
A+ / A-

Voluntários nos lares. CNIS pede “cautela” por causa do coronavírus

23 mar, 2020 - 20:04 • José Bastos , Filipe d'Avillez

O presidente da CNIS, padre Lino Maia, diz que não há funcionários suficientes nos lares para poder ter equipas de reserva e trabalhar e rotatividade.

A+ / A-

Veja também:


A presença de voluntários nos lares de idosos pode ser necessária nesta fase de crise por causa do coronavírus, mas tem de ser encarado com cuidado e cautela, avisa a Confederação Nacional das Instituições de Solidariedade Social (CNIS).

A ministra do Trabalho, Solidariedade e Segurança Social, Ana Mendes Godinho, pediu no domingo que os lares se esforcem para colocar os seus funcionários em regime de rotatividade.

Ana Mendes Godinho reagia dessa forma ao caso de um lar em Famalicão cujos utentes tiveram de ser transferidos porque oito dos funcionários foram diagnosticados com covid-19.

Contactado pela Renascença o padre Lino Maia diz que os voluntários podem ser uma solução, mas adverte para se ter cuidado. “Primeiro andámos a dizer que é preciso evitar visitas, e os voluntários são também de algum modo visitas, e se agora viermos com um discurso para arregimentar voluntários, pode parecer um bocado mudança.”

“Mas é importante haver voluntários, com cautela, com cuidado, para substituir trabalhadores”, conclui.


Já sobre a possibilidade de ter os trabalhadores em rotatividade, o presidente da CNIS diz que para a maioria das instituições é impossível. “As instituições não têm trabalhadores em carteira para eventuais emergências. Não é possível ter mais para alem dos que já estão afetos a estas valências”, afirma.

Já no domingo João Ferreira de Almeida, da Associação de Apoio Domiciliário, de Lares e Casas de Repouso de Idosos (ALI), e Manuel Lemos da União das Misericórdias, tinham advertido para a dificuldade de encontrar recursos humanos para funcionar dessa forma, sobretudo no interior.

O Governo anunciou esta segunda-feira a criação de uma equipa multidisciplinar de acompanhamento permanente dos lares que pode ser chamada em caso de emergência, enquanto as Forças Armadas podem ajudar na higienização de lares.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

Destaques V+