|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Covid-19

Pico da pandemia em Portugal "deve situar-se à volta de 14 de abril"

21 mar, 2020 - 12:56 • Sofia Freitas Moreira

Ministra Marta Temido assume que a curva continuará a subir, embora aponte que houve um abrandamento. Ministério da Saúde vai instaurar nova norma para tratamento dos pacientes.

A+ / A-

A ministra da Saúde revelou, este sábado, que se prevê que a pandemia do novo coronavírus, em Portugal, atingirá o pico por volta do dia 14 de abril.

"De acordo com a evolução do novo coronavírus em Portugal e dos cálculos dos nossos especialistas, estima-se que a data prevista para a ocorrência do pico da doença se situe por volta do dia 14 de abril data prevista para ocorrência do pico da curva epidemiológica é à volta do dia 14 de abril", referiu a governante, na conferência de imprensa de atualização do boletim da Covid-19.

Marta Temido revelou, ainda, que o Ministério instaurará, a partir da próxima quinta-feira, uma nova norma de abordagem à assistência ao doente com Covid-19.

"Há um conjunto de doentes que têm estado a ser tratados no domicílio. Face ao que tem sido o alargamento da expansão geográfica da epidemia e a curva crescente, apesar do abrandamento na inclinação da curva, na próxima semana, a partir de quinta-feira, pretende-se agilizar e reforçar essa possibilidade, garantindo que os doentes são seguidos mesmo no seu domicílio", afirmou.

A ministra remeteu mais perguntas e esclarecimentos para o momento da divulgação da norma. Contudo, minutos depois, a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, adiantou mais detalhes sobre a medida, que passa pela separação de áreas para doentes infetados com o novo coronavírus e exige "algumas adaptações" por parte das unidades de saúde:

"Em vez de nos concentramos todos em hospitais e serviços de referências, vamos começar logo a fazer uma dicotomia à partida. Quem tem sintomas sugestivos de Covid segue uma linhagem de tratamento e procedimento. Quem não tem segue outra. Vamos ter dois grandes grupos de atendimento."

Esta medida surge, também, da "responsabilidade de continuar a tratar todos os doentes que não têm Covid".

"Não vamos deixar os portugueses sem cuidados essenciais no que diz respeito a não-Covid", afiançou Graça Freitas.

Mais testes e equipamento a chegar

A ministra da Saúde garantiu que mais testes e equipamento de proteção e tratamento chegarão a Portugal, para ajudar no combate à pandemia da Covid-19.

"Temos neste momento em 'stock', na Reserva Estratégica Nacional, cerca de dois milhões de máscaras tipo 2 e temos um conjunto de entregas fixas para 23, 30, 3, 13, 20 e 27 de abril. Estamos a garantir que tudo o que é capacidade de aquisição é materializada e que a reserva nacional não fica com baixas.

"Temos 'stock' de 9.000 testes diários e o setor privado tem qualquer coisa como 17.000. Estamos a trabalhar com vários fornecedores, para comprar mais testes. Poderemos concretizar alguma aquisição de testes significativa que nos permita um maior fôlego", acrescentou.

Marta Temido sublinhou que o equipamento de proteção individual, como as máscaras, "é um bem escasso":

"O Ministério da Saúde e o INFARMED têm estado a disponibilizar-se para recolher necessidades do setor da saúde pública, para facilitar o processo de importação e distribuição. Todos os países têm carências ao nível de equipamento de proteção individual. Nós temos estado a trabalhar com um conjunto de entidades beneméritas que nos têm ajudado a identificar novas possibilidades de produção e importação de equipamento de proteção individual. Temos de gerir o 'stock' da forma mais responsável possível."

"Precisamos todos de ter cuidado"

A ministra da Saúde deixou, ainda, "um apelo aos mais jovens e às crianças".

"Neste momento, estamos a enfrentar um fenómeno que exige responsabilidade de todos e especial cuidado na forma como os pais explicam o contexto aos filhos, mas precisamos de perceber que ninguém está imune à doença, mesmo que em determinadas faixas etárias ela seja substancialmente inócua. Por isso, precisamos todos de ter cuidado", sublinhou.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.