|

 Casos Ativos

 Internados

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Governo generaliza teletrabalho e encerra Lojas do Cidadão

19 mar, 2020 - 19:07 • Filipe d'Avillez com Lusa

O anúncio foi feito por António Costa, esta quinta-feira, em conferência de imprensa.

A+ / A-
O que muda com o estado de emergência? O essencial das medidas
O que muda com o estado de emergência? O essencial das medidas

O Governo decidiu "generalizar a utilização do teletrabalho" para todos os funcionários públicos que o possam fazer e encerrar as Lojas do Cidadão, anunciou o primeiro-ministro, esta quinta-feira.

No final de uma primeira reunião do Conselho de Ministros para aprovar medidas que concretizam a execução do decreto do Presidente da República que institui desde as 00h00 de quinta-feira o estado de emergência, António Costa anunciou que o Governo aconselha, nos serviços de atendimento ao público, que este se faça por via telefónica e “on line” e que os casos presenciais só serão feitos por marcação.

A medida anunciada pelo Governo tem por objetivo conter, na medida do possível, a propagação da covid-19, no dia em que se confirmou a quarta vítima mortal por causa da nova estirpe de coronavírus.

Milhares de pessoas já morreram em todo o mundo, com destaque para a China, Itália e Irão e a pandemia está a gerar uma crise mundial, com muitos países a encerrar as suas fronteiras e a decretar medidas de emergência para tentar conter os prejuízos humanos.

Esta quinta-feira a Direção-geral da Saúde anunciou que Portugal tinha chegado aos 785 casos confirmados e três mortes. Ao final da tarde surgiu a informação de uma quarta morte, em Ovar.

Três pessoas estão recuperadas, mas a diretora-geral da Saúde, Graça Freitas, diz que esse número deve começar agora a aumentar muito.


Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.