|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

OMS. “Testar, testar e testar é fundamental" para derrotar o coronavírus

17 mar, 2020 - 17:55 • Liliana Monteiro

"O coronavírus pode ser combatido com solidariedade de todos e ações concertadas", alerta diretor da OMS.

A+ / A-

Veja também:


Sete mil mortos resultantes do novo coronavírus. A Organização Mundial de Saúde (OMS) diz que a Europa é nesta altura o epicentro desta nova doença que afeta já todos os países que a compõem.

Hans Kluge, o director da organização, lembra que nesta altura não devemos pensar se se está a agir tarde demais ou cedo demais, mas sim ter bem presente as várias fases e evolução rápida, já conhecida, deste vírus.

“Precisamos de duplicar, triplicar o esforço de todos os países e aprender com aqueles que conseguiram controlar a COVID 19”, sublinhou em conferência de imprensa.

“Testar, testar e testar é fundamental não esquecer isso. Testar os doentes nos hospitais e os casos suspeitos. Assim como é importante também não esquecer que há outras doenças e pessoas a precisar de outros tratamentos, lembrando que não se pode esquecer também estas pessoas”, apela Hans Kluge.

A ação da comunidade como um todo é muito importante, ninguém se pode anular nesta missão de combate ao novo coronavírus, sublinha.

“Detetar e proteger, reduzir a transmissão, inovar e tratar são os principais objetivos”, afirma o diretor da OMS.

Hans Kluge considera fundamental os países trabalharem em conjunto, em coordenação.

O coronavírus pode ser combatido com solidariedade de todos e ações concertadas, afirma. “No início, é normal os países responderem individualmente, mas depois têm de ser criadas sinergias entre nações”, defende.

A experiência da China mostra bem que o isolamento é fundamental.

Coronavírus na Europa

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.