|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus. Primeiro caso de paciente curado em Portugal

12 mar, 2020 - 16:17 • Henrique Cunha , com redação

O paciente foi tratado no Hospital de São João, no Porto.

A+ / A-

Veja também:


O primeiro caso de um paciente curado em Portugal, depois de contrair o novo coronavírus (Covid-19), foi conhecido esta quinta-feira.

O paciente estava internado no Hospital de São João, no Porto.

A notícia foi confirmada à Renascença por fonte hospitalar.

Os últimos dois testes realizados ao doente em questão deram negativo.

O individuo já não apresenta sintomas e recebeu alta hospitalar esta quinta-feira.

O número de casos confirmados de coronavírus em Portugal aumentou esta quinta-feira para 78, indicou a Direção-Geral da Saúde.

A Organização Mundial de Saúde declarou na quarta-feira que o coronavírus é uma pandemia.

O governo português vai anunciar esta quinta-feira à noite medidas para tentar conter o surto, como um eventual encerramento dos estabelecimentos de ensino.

O primeiro-ministro, António Costa, promete medidas para breve e aproveitou para deixar um apelo aos estudantes que estão sem aulas. “Que compreendam que devem ter um esforço acrescido na sua circulação, evitando situações de convívio.”

"A deslocalização do contacto do espaço educativo para outros espaços de convívio não resolve o fundo do problema, só deslocaliza os riscos. O apelo que eu faria é que todas as pessoas que estudam ou trabalham em entidades que têm sido encerradas compreendam que devem ter um esforço acrescido de contenção na sua circulação social. Todos devemos procurar evitar essas situações de convívio. Ninguém pense que não é pelo facto de não estar na sala de aula, mas noutro espaço de convívio, que o risco de contaminação é menor", apela o chefe do Governo.

[notícia atualizada às 20h47]

Tópicos
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.