Tempo
|
A+ / A-

Ex-árbitro Jorge Ferreira acusa Conselho de Arbitragem de corrupção

12 mar, 2020 - 13:51 • Redação

Procuradoria-Geral da República investiga órgão federativo por corrupção e falsificação de documentos, segundo a RTP. Em entrevista ao canal, Jorge Ferreira revela que foi ele quem fez a denúncia e fala de pressões para favorecimento aos grandes.

A+ / A-

O ex-árbitro Jorge Ferreira acusa o Conselho de Arbitragem (CA) da Federação Portuguesa de Futebol de corrupção e falsificação de documentos.

Em entrevista à RTP, que será transmitida, na íntegra, esta quinta-feira, Jorge Ferreira revela que denunciou, à Procuradoria-Geral da República (PGR), "um conjunto de ilegalidades" que o Conselho de Arbitragem, alegadamente, "tem efetuado".

"Fui eu e já fui ouvido", declarou o ex-árbitro. "Estamos a falar de dois tipos de ilegalidade: corrupção e falsificação de documentos. As provas que tenho estão entregues à Polícia Judiciária", acrescentou.

Segundio a RTP, a PGR já está a investigar o caso, que estará em segredo de justiça. "São mais de 30 processos legais", garantiu o árbitro jubilado.

Alegadas pressões para favorecimento aos grandes


Jorge Ferreira também acusa o CA de pressões aos árbitros, para favorecimento aos três grandes do futebol português, FC Porto, Benfica e Sporting.

O ex-árbitro revelou, na mesma entrevista à RTP, que, antes de apitar um jogo dessas equipas, recebia um telefonema a aconselhar-lhe cautela nas decisões tomadas durante a partida. Algo que, assegurou, continua a acontecer.

"O Conselho de Arbitragem quer agradar aos árbitros e aos clubes. Os que têm poder, essencialmente os três grandes. Dependia da tabela classificativa", contou.

Na época 2016/17, Jorge Ferreira foi despromovido da primeira categoria, por ter sido o pior classificado dos árbitros da I Liga.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • josé
    15 mar, 2020 guimaraes 17:21
    Acho graça a estes AM-DM quando este LADRÃO fala nos 3 grandes estão a acusar o f c porto como o grande beneficiado quando na verdade o clube deles o da ditadura é que tem ganho os campeonatos no entanto na Europa está sempre a LERPAR.
  • Hugo Teixeira
    13 mar, 2020 Vila Nova de Gaia 16:55
    Joaquim, a sério? Enfrentar o FCP? Lemos a notícia toda? Ahaha. Não adianta ser o mais rápido a comentar nem repetir as mesmas mentiras até se tornarem verdades. O vosso estado paralelo, onde até ousam recriar a interpretação das leis não vai prevalecer. Nem que fosseis nove milhões.
  • aurelio cor
    13 mar, 2020 Braga 10:48
    Onde está a novidade? Todos sabem mas nunca se prova nada. Porque será? Não é só no futebol. Infelizmente, é transversal ao país. O problema está na justiça. Ou não funciona ou funciona... mal. Vou usar a expressão "funciona mal"...
  • Joaquim
    13 mar, 2020 Aqui 09:41
    Ah grande homem, finalmente alguém com coragem de enfrentar o FC. Porto e os seus capangas! Isto não devia era ser entregue ao DIAP do Porto, porque aí corre o risco de ser abafado!
  • Manuel
    13 mar, 2020 Moura 00:54
    Isto não é novidade para ninguém.
  • António João Fino Pe
    12 mar, 2020 SACAVEM 23:25
    Enquanto andou por esses campos fora, certamente a ser pressionado, porque é que não falou. Não lhe convinha, sr. Jorge Ferreira, não é?

Destaques V+