|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Tensão em Lesbos

"Vão para a Turquia!" Gregos incendeiam centro de acolhimento de migrantes

01 mar, 2020 - 20:52 • Redação com Lusa

Mais de uma centena de habitantes da ilha grega de Lesbos destruíram o centro de acolhimento da ONU na praia de Skala Sykamineas. Local havia sido foi encerrado no fim de janeiro. Erdogan anunciou no sábado a abertura de fronteiras para a Europa aos migrantes e refugiados.

A+ / A-

Habitantes da ilha grega de Lesbos incendiaram este domingo um centro de acolhimento de migrantes, que estava desocupado, na praia de Skala Sykamineas, segundo um fotógrafo da AFP. O centro, que foi gerido pelo Alto Comissariado da ONU para os refugiados, foi encerrado no fim de janeiro. Os migrantes que estiveram antes no local foram deslocados para um outro centro na ilha.

Cerca de 150 habitantes concentraram-se em redor do centro após a chegada de novos migrantes a Skala Sykamineas e incendiaram-no parcialmente, com receio que fosse reaberto.

Cerca de 70 pessoas que procuram asilo continuam na praia, sem proteção, ao início da noite, constatou o fotógrafo da AFP. Segundo uma contagem da agência, hoje pelo menos 500 migrantes chegaram a diferentes pontos da ilha em várias embarcações.

Manifestando a sua cólera com esta chegada, os habitantes também impediram uma embarcação com cerca de 50 migrantes de atracar, com gritos de "vão para a Turquia".

O Presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, anunciou no sábado a abertura de fronteiras para a Europa aos migrantes e refugiados. A decisão de Ancara está a ser encarada como uma tentativa deliberada de pressionar os países europeus para obter apoio ocidental na Síria, onde a Turquia enfrenta o regime de Damasco.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.