|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

Interativo

Quais os países com coronavrírus?

28 jan, 2020 - 12:06 • Marta Grosso , Ricardo Vieira

O número de mortos e infetados pelo vírus que começou num animal na China e ultrapassou a barreira das espécies, fronteiras e oceanos continua a aumentar. A Renascença mostra-lhe o panorama.

A+ / A-


O coronavírus já matou mais de três centenas de pessoas na China e fez a primeira vítima mortal fora do país, com um caso fatal confirmado nas Filipinas.

Portugal continua livre da doença. Dois casos suspeitos deram negativo.

Mas o coronavírus já chegou à Europa. Primeiro, a França e, depois, à Alemanha, Finlândia, Suécia, Reino Unido, Rússia, Itália e Espanha.

Na Europa, tal como também já aconteceu no Japão, há doentes que apanharam a doença por transmissão pessoal. Ou seja, não estiveram na China, mas contactaram com outras que estiveram em Wuhan, o epicentro do surto.

Nesta altura (2 de fevereiro), são 25 os locais além da China continental com casos confirmados de coronavírus, num total de 177 casos.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) declarou o estado de emergência global, a 30 de janeiro. A prioridade é partilhar informações, "apoiar países com Serviços Nacionais de Saúde mais frágeis, acelerar produção de vacinas e combater desinformação". A OMS opõe-se à restrição de viagens.

Vários países, entre os quais Estados Unidos, Austrália, Singapura, Nova Zelândia e Vietname, proibiram a entrada de cidadãos estrangeiros que tenham estado recentemente na China. Várias companhias aéreas suspenderam os voos para cidades chinesas.

Coronavírus. China cada vez mais isolada enquanto número de casos aumenta
Coronavírus. China cada vez mais isolada enquanto número de casos aumenta


“Cada casa é uma zona de quarentena”

Desde o início que a China está a tomar medidas para conter a propagação do vírus. Nesta altura, 30 cidades e províncias lançaram o Nível 1 de resposta de emergência. São perto de 60 milhões de pessoas sob isolamento total ou parcial.

E, nesta terça-feira, a região administrativa de Hong Kong anunciou o encerramento temporário de algumas fronteiras com a China e o condicionamento das viagens, por exemplo, feitas por comboio de alta velocidade.

O número de voos também será bastante reduzido e suspensas as permissões de viagens pessoais para a China continental.

Numa região de Pequim do distrito de Shunyi, foi anunciada uma nova regra: “se estiver cá, não saia. Se eles saíram, não os deixe voltar”. É uma norma para toda a família. Nas estradas em redor da pequena comunidade, foram colocadas fitas vermelhas.

Desde a semana passada, foram instalados sistemas de comunicação aos residentes, alertando para não convidarem pessoas para casa e pedindo a todos quantos estiveram em Wuhan que se registem junto das autoridades.

“Cada casa é uma zona de quarentena”, diz uma aldeã à agência Reuters.

Em Wuhan, o estigma de ser a origem do surto começa a criar efeitos psicológicos nas pessoas. “Sinto-me a pessoa mais sozinha do mundo neste momento”, diz uma estudante de 23 anos. Está a estudar numa universidade de Pequim e o surto impede-a agora de voltar a casa, em Wuhan.

Carmen Wang diz que os colegas a evitam, que avisaram outros para não a visitar, pelo que opta agora por encomendar comida e ver televisão sozinha.

Wuhan, uma cidade fantasma. Português descreve “cenário assustador” no epicentro do coronavírus
Wuhan, uma cidade fantasma. Português descreve “cenário assustador” no epicentro do coronavírus

Bruxelas aciona mecanismo para repatriar cidadãos

A Comissão Europeia anunciou nesta terça-feira disponibilidade para acionar o Mecanismo Europeu de Proteção Civil, usado para catástrofes naturais, para repatriar cidadãos da União Europeia (UE) na China.

“O Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças está a discutir com os Estados-membros ações para resposta imediata, incluindo a utilização do Mecanismo Europeu de Proteção Civil, se for solicitado por um dos países”, declarou o porta-voz do executivo comunitário para a gestão de crises, Balazs Ujvari.

Também através deste instrumento, o centro europeu “poderá disponibilizar […] apoio logístico para o transporte de medicamentos e equipamentos médicos entre os Estados-membros”, bem como “transporte de equipamento especializado destinado ao despiste do vírus”, adiantou Balazs Ujvari.

Vários países já anunciaram a intenção de retirar os seus cidadãos da China, incluindo Portugal. Nesta terça-feira, o Japão enviou um voo fretado para Wuhan com o mesmo objetivo.

Segundo o ministro japonês dos Negócios Estrangeiros, haverá perto de 650 cidadãos japoneses à espera de voltar para casa.

O que é o coronavírus e como se transmite?
O que é o coronavírus e como se transmite?
Saiba Mais
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.