Tempo
|
A+ / A-

Coronavírus chega à Grécia, Brasil, Paquistão e Georgia

26 fev, 2020 - 10:35 • Marta Grosso com agências

Número de vítimas continua a aumentar e novos países vão entrando na lista. França regista dois mortos e no aeroporto de Heathrow, em Londres, já estão em prática medidas de precaução.

A+ / A-

O Brasil juntou-se esta quarta-feira à lista de países com casos confirmados de Covid-19, no caso um homem de 61 anos que esteve recentemente em Itália, numa viagem de trabalho à região da Lombardia.

A notícia foi inicialmente avançada pela agência Reuters, citando uma fonte familiar, e confirmada horas depois pelo Governo brasileiro em conferência de imprensa.

Na terça-feira, em comunicado, o Ministério brasileiro da Saúde avançava que estavam a ser feitas análises, em São Paulo, a um homem que tinha estado na região italiana da Lombardia entre os dias 9 e 21 de fevereiro e que apresentava sintomas compatíveis com o novo coronavírus.

Este é o primeiro caso na América do Sul.

Na Grécia, as autoridades anunciaram também o primeiro caso no país, nesta quarta-feira. Trata-se de uma mulher de 38 anos que viajou para o norte de Itália, avançou o Ministério da Saúde.

“Ela está bem e a ser monitorizada por uma equipa excecional em Thessaloniki”, adiantou o porta-voz do Governo aos jornalistas.

Da mesma forma, também o Ministério da Saúde do Paquistão confirmou esta quarta-feira o primeiro caso de contágio pelo novo coronavírus no país.

Na Georgia, a ministro da Saúde também confirmou o primeiro caso de infeção, um homem que esteve no Irão e que atravessou a fronteira para o Azerbaijão e que, explicou Ekaterine Tikaradze, "foi imediatamente transportado para o hospital a partir do checkpoint na fronteira".

Em França, uma pessoa morreu nesta quarta-feira e uma outra foi dada como infetada com o Covid-19. A vítima mortal tinha 60 anos e morreu durante a noite num hospital de Paris, onde estava internada; é a segunda morte em França na sequência do novo coronavírus.

O outro caso identificado é o de um homem que esteve na região italiana da Lombardia e que fez subir para 17 o número de infeções confirmadas no país. Destes, 11 já recuperaram.

França está em alerta máximo dada a proximidade com Itália, que é o país da Europa com o mais elevado número de casos: 374 confirmados, dos quais resultaram 12 mortos até esta quarta-feira. A maior parte das infeções concentra-se no Norte do país, mas já foram registados casos mais a sul.



No Reino Unido, o principal aeroporto da capital britânica começou a tomar algumas medidas de prevenção.

“Limpeza profunda em todo o aeroporto, sobretudo nas áreas onde as pessoas podem tocar em corrimãos, e manter o stock de desinfetante para as mãos, tanto para funcionários como para passageiros”, são algumas algumas das medidas apontadas pelo responsável executivo de Heathrow em entrevista à BBC.

Além disso, as temperaturas dos passageiros vão passar a ser monitoradas, tal como defendem as autoridades de saúde.

John Holland-Kaye diz que não se sente ainda grande impacto no número de passageiros, mesmo com o cancelamento dos voos entre Londres e a China da parte da British Airways e da Virgin Atlantic. Mas várias companhias aéreas chinesas, como a China Eastern, continuam a voar entre os dois países.



No Irão, outro país bastante afetado pelo surto, o balanço de casos confirmados subiu para 139, tendo 19 pessoas não resistido ao novo coronavírus. Os números foram avançados nesta quarta-feira pelo Ministério iraniano da Saúde na televisão.

Vários países vizinhos já decidiram fechar as fronteiras, para conter a propagação do Covid-19. Ainda assim, já foram confirmados casos no Iraque, no Bahrain, no Afeganistão, em Omã, no Líbano e nos Emirados Árabes Unidos.

[atualizado às 17h]

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.