|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus chega ao Sul de Itália

25 fev, 2020 - 10:08 • Lusa

Até agora apenas o Norte do país registava casos de infeção com o Covid-19. Primeiro caso no Sul é uma mulher que esteve na região da Lombardia.

A+ / A-

As autoridades italianas anunciaram nesta terça-feira o registo do primeiro caso de coronavírus no Sul do país – uma mulher nascida em Bérgamo, a nordeste de Milão, que estava de férias em Palermo, Sicília.

O presidente da região da Sicília, Nello Musumeci, confirma numa nota que a mulher chegou a Palermo “antes de começar a emergência [do novo coronavírus] na Lombardia”.

Segundo o comunicado, a mulher encontrava-se na Sicília com um grupo de amigas e demonstrou ter sintomas similares aos do Covid-19.

Atualmente, está internada em observação na unidade de doenças infecciosas do hospital Cervello de Palermo, “plenamente consciente e não apresenta condições particulares de mal-estar”.

As equipas médicas estão também a fazer exames ao marido da doente e a todas as pessoas com quem esteve em contacto nos últimos dias.

As amostras examinadas pelo hospital de Palermo serão enviadas "de forma imediata" ao hospital Spallanzani de Roma, onde serão feitas mais análises.

Má gestão hospitalar terá levado a propagação do vírus

O primeiro ministro italiano, Giuseppe Conte, apontou a gestão “não completamente apropriada” de “um hospital” para explicar a rápida disseminação do vírus no norte da Itália.

“Está claro que existe um foco e é aí que o vírus se espalha”, disse Conte num programa de televisão da emissora pública Rai Uno, acrescentado: “agora sabe-se que houve uma gestão ao nível de uma estrutura hospitalar que não é completamente apropriada segundo os protocolos de prudência recomendados nestes casos e que, certamente, contribuíram para a difusão”.

O foco principal da epidemia foi identificado em Codogno, perto de Lodi, 60 km ao sul de Milão.

Mattia, um executivo de 38 anos, foi hospitalizado nesta localidade de 15.000 habitantes, sendo considerado o “paciente 1”.

Deste paciente surgem um grande número de casos identificados na Lombardia (noroeste), a região mais afetada pelo vírus, com 172 casos detetados em um total de 229 na Itália, incluindo sete mortes.

Segundo relatos da imprensa, além da sua mulher, grávida de oito meses, e outros parentes, vários dos médicos que o examinaram ficaram infetados, assim como enfermeiras, cuidadores e, depois, pacientes e sua comitiva.

Contudo, entretanto surgiram algumas dúvidas também sobre a identidade do “paciente zero” em Itália.



O número de casos de contaminação com o novo coronavírus permaneceu estável na segunda-feira em Itália, país que tenta conter o contágio graças a um cordão sanitário estabelecido em onze municípios do Norte, considerado o centro da epidemia.

O foco do coronavírus afeta a Itália especialmente as regiões do Norte, concretamente a Lombardia, onde mais casos de contágio foram detetados, no entanto, hoje as autoridades referem que já chegou ao sul do país.

O Covid-19 já causou 270 infetados e sete mortos em Itália, todos eles de idade avançada e/ou com outras patologias.

Em Portugal, já houve 14 casos suspeitos, que resultaram negativos após análises, estando um novo caso a ser avaliado.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.