Tempo
|
A+ / A-

Sites de vendas prejudicam negócio de abate de automóveis

21 fev, 2020 - 18:21 • José Carlos Silva

O tema da concorrência não passou à margem do 2.º Encontro Nacional de Profissionais do Setor dos Veículos em Fim de Vida (VFV).

A+ / A-

O comércio de peças na internet é um negócio paralelo que prejudica o setor dos veículos em fim de vida (VFV), denuncia Luís Costa, vice-presidente da Associação Nacional dos Centros de Abate de Veículos (ANCAV).

Estes sites ganham dinheiro com peças de veículos importados sem que, depois, acabem por reciclar o que resta dos carros desmanchados, frisa Luís Costa.

"Há muita gente a ir buscar carros a Inglaterra, Alemanha e França, coloca-os à venda no OLX e não fazem reciclagem. Há muita sucata a circular na internet que não cumpre os requisitos que nós queremos", diz o presidente da ANCAV.

O setor é rentável, reconhece, e saem todos a ganhar: o ambiente, os profissionais do setor e o consumidor.

Nesse sentido, Luís Costa dá alguns exemplos: "o preço das peças varia. Mas a venda de peças usadas pode ser uma boa solução no mercado automóvel onde muitas vezes já não há peças para veículos com duas dezenas de anos. E para viaturas mais recentes, pode igualmente compensar”.

Tudo depende do carro. “Imagine que é um automóvel com 20 anos. Você quer uma peça que já não existe, nem sequer na marca. Mas se houver na marca e custar 250 euros, eu posso ter essa peça, e vender-lha usada por 10 ou 20 euros.”

É claramente um bom negócio para quem compra. Mas e no caso de ser um veículo com dois ou três anos? Imaginemos, um farolim: “Por exemplo um farolim que novo custa 250 euros. Eu posso vender-lhe essa peça por cerca de 40% do preço de uma nova", refere Luís Costa.

O vice-presidente da ANCAV não limita os problemas do setor à concorrência. Reconhece que ao contrário do que acontecia há 10 anos, há cada vez menos peças de carros, com por exemplo, duas décadas. A culpa, não tem dúvidas, é do fim dos apoios do estado aos compradores de automóveis novos, a gasolina ou gasóleo, que decidam entregar os seus carros velhos.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.