|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Vitória de Guimarães "não podia ficar indiferente" aos insultos a Marega

21 fev, 2020 - 16:30 • Carlos Dias com Redação

O jurista Ricardo Nascimento entende que a inércia do clube em tomar medidas que poderiam ter cessado os insultos ao maliano constitui prova suficiente para que seja penalizado.

A+ / A-

O jurista Ricardo Nascimento, ex-presidente da Comissão Arbitral Paritária, considera que o regulamento disciplinar da Liga de Clubes permite castigar o Vitória de Guimarães, na sequência dos insultos racistas dirigidos, por adeptos do clube, a Moussa Marega.

O artigo 113 do regulamento prevê uma penalização aos clubes que promovam, consintam ou tolerem comportamentos racistas. Contudo, o Conselho de Disciplina da Federação Portuguesa de Futebol refere que é muito difícil provar que há consentimento da parte de um clube. Em declarações a Bola Branca, Ricardo Nascimento entende que a existência de um "simples comportamento omissivo" por parte do Vitória constitui prova suficiente de que existiu algum tipo de tolerância ao sucedido.

"Um clube não pode ficar indiferente a isto. Pode utilizar as instalações sonoras do estádio, pedindo aos adeptos para que cessem aquele comportamento, pode falar com o oficial de ligação aos adeptos, pedindo que a claque termine com isso, pode pedir às forças de segurança para que sejam identificados os adeptos que se estejam a portar mal", sustenta o jurista.

No entendimento de Ricardo Nascimento, a existência de medidas que podem cessar atitudes discriminatórias e a não concretização das mesmas mostra, desde logo, alguma indiferença do clube em relação aos comportamentos adotados por alguns dos seus adeptos.

O ex-presidente da Comissão Arbitral Paritária acredita que há uma conjugação de evidências que mostram que os insultos terão, efetivamente, ocorrido:

"A ser verdade o que vem noticiado de que há imagens de videovigilância dos adeptos a entoar insultos racistas e que começaram, inclusive, no aquecimento, isto é, numa fase prévia ao jogo, e a ser verdade o que vem no relatório da polícia, do árbitro e do delegado do jogo, já são muitos indícios de que houve aqui um comportamento impróprio dos adeptos."

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.