Viveu 22 anos num campo de refugiados. Agora criou um jogo para nos pôr na pele dele

20 fev, 2020 - 18:28 • Joana Gonçalves (edição) imagens: Reuters

Lual Mayen, de 25 anos, criou o seu primeiro videojogo no campo de refugiados onde passou quase toda a vida, no norte do Uganda. Hoje a viver nos EUA, o jovem sul-sudanês lançou a startup Junub Games e desenvolveu um jogo virtual que simula a jornada de um refugiado, para promover a empatia e a resolução de conflitos.

RSS iTunes URL Embed E-mail Facebook Twitter Whatsup Comentários
Reportagem
Eu Eleitor hyper

Eu, eleitor

Retratos do país que vota

Que país é este que vai às urnas? Até às eleições legislativas, a Renascença apresenta retratos de 18 eleitores dos círculos eleitorais de Portugal continental, olhando as características e dificuldades de cada distrito.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.