|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Coronavírus. Rússia vai proibir a entrada de cidadãos chineses no país

18 fev, 2020 - 18:42 • Redação

O primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, disse recentemente que a Rússia pode igualmente começar a deportar estrangeiros infetados pelo vírus.

A+ / A-

De acordo com várias agências internacionais, que citam declarações da vice-primeira-ministra (e responsável pela Saúde) Tatiana Golikova, Moscovo vai proibir, já a partir de quinta-feira, a entrada de cidadãos chineses em território russo, de forma a conter a propagação do surto de coronavírus no país.

"A entrada de cidadãos chineses nas fronteiras da Rússia está suspensa a partir de 20 de fevereiro para viagens de negócios, viagens privadas, estudos e turismo", anunciou Tatiana Golikova.

Pese embora as autoridades russas anunciem também que a medida terá “caráter temporário”, não foi referido quando será levantada a proibição de entrada no país de cidadãos chineses.

Desde o início do surto de coronavírus, o Governo russo suspendeu a maior parte de seu tráfego aéreo para a China. Todos os comboios que ligam a Rússia à China e o território russo à Coreia do Norte foram igualmente suspensos.

No final de janeiro, a Rússia decidiu fechar os 4.250 km da sua fronteira terrestre com a China.

Moscovo deixou também temporariamente de emitir vistos de trabalho para cidadãos chineses. Já os estudantes chineses que haviam saído para as férias do Ano Novo Lunar na China foram convidados a não retomar aos seus estudos nas universidades russas até 1 de março.

O primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, disse recentemente que a Rússia pode começar a deportar estrangeiros infetados pelo vírus.

De acordo com a atualização mais recente, divulgada na manhã desta terça-feira, a China registrou 1.870 mortes pelo Covid-19. O total de casos confirmados no país está em 72.528, de acordo com o mesmo levantamento.

De acordo com várias agências internacionais, que citam declarações da vice-primeira-ministra (e responsável pela Saúde) Tatiana Golikova, Moscovo vai proibir, já a partir de quinta-feira, a entrada de cidadãos chineses em território russo, de forma a conter a propagação do surto de coronavírus no país.

"A entrada de cidadãos chineses nas fronteiras da Rússia está suspensa a partir de 20 de fevereiro para viagens de negócios, viagens privadas, estudos e turismo", anunciou Tatiana Golikova.

Pese embora as autoridades russas anunciem também que a medida terá “caráter temporário”, não foi referido quando será levantada a proibição de entrada no país de cidadãos chineses.

Desde o início do surto de coronavírus, o Governo russo suspendeu a maior parte de seu tráfego aéreo para a China. Todos os comboios que ligam a Rússia à China e o território russo à Coreia do Norte foram igualmente suspensos.

No final de janeiro, a Rússia decidiu fechar os 4.250 km da sua fronteira terrestre com a China.

Moscovo deixou também temporariamente de emitir vistos de trabalho para cidadãos chineses. Já os estudantes chineses que haviam saído para as férias do Ano Novo Lunar na China foram convidados a não retomar aos seus estudos nas universidades russas até 1 de março.

O primeiro-ministro russo, Mikhail Mishustin, disse recentemente que a Rússia pode começar a deportar estrangeiros infetados pelo vírus.

De acordo com a atualização mais recente, divulgada na manhã desta terça-feira, a China registrou 1.870 mortes pelo Covid-19. O total de casos confirmados no país está em 72.528, de acordo com o mesmo levantamento.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.