|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Luís Castro pede investimento na educação para evitar mais "casos Marega"

19 fev, 2020 - 15:12 • Redação

Treinador do Shakhtar Donetsk considera que o racismo "é uma chaga da humanidade" e uma "questão de respeito e educação".

A+ / A-

Luís Castro, treinador do Shakhtar Donetsk, pede aos governos que invistam "muito mais" na educação, para acabar de vez com fenómenos de racismo, algo que considera ser "uma chaga da humanidade".

Na Ucrânia, o técnico português já presenciou episódios racistas contra jogadores seus, como Taison e Dentinho. Questionado, esta quarta-feira, pela Sport TV, sobre os insultos racistas a Marega, jogador do FC Porto, Luís Castro, que na temporada passada treinou o Vitória de Guimarães, salientou que esta "é uma questão de respeito e educação", que "vai muito para além" de castigos ao clube detentor do recinto em que esses incidentes ocorrem, e apontou o dedo aos governos.

"É uma questão educacional. Cora de vergonha governos, instituições e os seres humanos que proferem insultos. Como é que estamos em 2020 e continua a haver discriminação? Condeno a toda a linha. Recintos desportivos deviam ser um espaço de lazer, de valores, de respeito e do culto pelo desporto. E é aí que normalmente vemos clima de violência e insultos. Toda a gente insulta toda a gente com impunidade. Parece que não há regras, parece que não há leis, parece que ninguém vê. Depois, espantam-se. Quem deve parar isto são os governos, que devem investir muito mais na educação. O investimento na educação hoje significa que, no futuro, teremos grandes governos e grandes pessoas", atirou.

Moussa Marega deixou o relvado ao minuto 71 do jogo entre FC Porto e Vitória de Guimarães, no Estádio D. Afonso Henriques, devido aos insultos racistas de que estava a ser alvo, na jornada 21 da I Liga.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.