|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Vitória de Guimarães

Ivo Vieira recusa comentar caso Marega

19 fev, 2020 - 12:24 • Redação

Treinador do Vitória de Guimarães remete para o comunicado do clube sobre os insultos racistas ao jogador do FC Porto.

A+ / A-

O treinador do Vitória de Guimarães, Ivo Vieira, recusou comentar o caso Marega, esta quarta-feira.

O avançado do FC Porto deixou o relvado ao minuto 71 do jogo no Estádio D. Afonso Henriques, devido aos insultos racistas de que estava a ser alvo, no domingo. Em conferência de imprensa, Ivo Vieira remeteu para o comunicado do Vitória de Guimarães sobre o caso.

"Em relação a todas essas questões, o que tenho a dizer é que o Vitória já emitiu um comunicado em que deixa a sua posição bastante explícita. Não tenho mais a dizer sobre a questão", sublinhou o técnico vitoriano.

No comunicado em questão, publicado na segunda-feira, o Vitória de Guimarães condenou os insultos racistas a Marega, "um ato de traição à fundação do clube", e ofereceu a sua "total disponibilidade" para colaborar com as autoridades na identificação dos responsáveis.

Logo após o encontro, no domingo, Ivo Vieira referira que não se tinha apercebido de "qualquer situação que provocasse" a saída de Marega do terreno de jogo. Contudo, recusara dar opinião sobre um lance que não vira e sobre o qual não tinha "factos concretos para comentar".

Entretanto, na terça-feira, o Conselho de Disciplina anunciou a abertura de um processo disciplinar ao Vitória de Guimarães pelo sucedido.

De resto, Ivo Vieira garantiu que o caso Marega "não afetou nada no processo de preparação" para a visita ao Desportivo das Aves, marcada para sexta-feira, às 20h30, a contar para a 22.ª jornada do campeonato.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.