|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Insultos a Marega. PSP analisa imagens de videovigilância para identificar responsáveis

17 fev, 2020 - 10:17 • João Cunha

O mundo do futebol une-se para repudiar aquilo que se passou no Estádio D. Afonso Henriques.

A+ / A-

A PSP ainda não identificou os responsáveis pelos insultos racistas ao jogador Marega, do FC Porto, durante o jogo deste domingo em Guimarães.

A Direção Nacional da PSP esclareceu à Renascença que aquando dos incidentes no estádio do Vitória de Guimarães, a Polícia tomou conta da ocorrência, mas não conseguiu identificar os autores dos insultos racistas, devido “à massa humana que se encontrava no estádio”.

Contudo, está a visionar as imagens de videovigilância. Depois vai elaborar o relatório do policiamento desportivo, que será enviado às entidades competentes. No caso, a Liga de Clubes e o próprio Vitória de Guimarães.

Caso se identifiquem os autores dos referidos insultos racistas, as autoridades judiciais devem intervir.

O comportamento dos adeptos suspeitos configura um crime previsto e punido no Código Penal com pena de prisão de seis meses a cinco anos.

O jogador do FC Porto Marega pediu para ser substituído ao minuto 71 da partida com o Guimarães, por ter ouvido cânticos e gritos racistas de adeptos da formação vimaranense, numa altura em que os 'dragões' venciam por 2-1, resultado com que terminaria o encontro.

Tanto o Presidente da República como o Primeiro-ministro já condenaram o episódio e manifestaram-se solidários com o jogador.

Moussa Marega reagiu através das redes sociais aos “gritos racistas” de que foi alvo na partida de domingo. Na mensagem criticou os adeptos do Vitória de Guimarães e os árbitros por não o terem defendido.

O mundo do futebol uniu-se para expressar o total repúdio face ao que aconteceu em Guimarães.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.