|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

​Caso suspeito de coronavírus em Lisboa deu negativo

17 fev, 2020 - 00:08 • Redação

Outra pessoa que foi encaminhada para o Hospital de S. João, no Porto, ainda aguarda os resultados dos exames. O número de mortos em todo o mundo aumentou este domingo para 1.770 e há mais de 71 mil casos confirmados.

A+ / A-

Veja também:


Deram negativo os resultados das análises a um doente internado no Hospital Curry Cabral, em Lisboa, com suspeitas de coronavírus (Covid-19), avança a Direção-Geral da Saúde (DGS).

O oitavo caso suspeito de infeção "resultou negativo após realização de análises laboratoriais pelo Instituto Nacional de Saúde Dr. Ricardo Jorge (INSA), com duas amostras biológicas negativas", refere a instituição liderada por Graça Freitas.

Outra pessoa que foi encaminhada para o Hospital de S. João, no Porto, ainda aguarda os resultados dos exames.

Os dois doentes tinham estado recentemente na China, de acordo com informações avançadas pela DGS.

O número de mortos em todo o mundo aumentou este domingo para 1.770 e há mais de 71 mil casos confirmados.

Menos mortos, mais novos casos de infeção na China

Na província chinesa de Hubei, o epicentro da doença, foram registadas mais 100 vítimas mortais e 1.933 pessoas infetadas.

O número de mortos diário baixou, em relação a sábado, mas o de infetados foi maior, depois de as autoridades de Pequim ter manifestado esperança de que o pico do surto de coronavírus poderia estar a passar.

Este domingo, foi registada a primeira vítima mortal devido ao Covid-19 em Taiwan.

Um homem, de 61 anos, não resistiu ao novo coronavírus, anunciou o ministro da Saúde, Chen Shih-chung.

A primeira vítima mortal em Taiwan era um motorista de táxi, que não esteve na China, mas que transportava muitos clientes oriundos de Hong Kong, Macau e China continental, adiantou o governante.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.