|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Caso Marega. Vitória de Guimarães oferece-se para colaborar com as autoridades

17 fev, 2020 - 20:59 • Redação

Em comunicado, o clube vitoriano condena os insultos racistas a Marega e critica "desconsideração institucional" da Liga.

A+ / A-

O Vitória de Guimarães ofereceu, esta segunda-feira, "a sua total disponibilidade para colaborar ativamente" com a Polícia de Segurança Pública (PSP) e a Procuradoria-Geral de República (PGR) na identificação dos "verdadeiros responsáveis" pelos insultos racistas a Moussa Marega.

O avançado do FC Porto cansou-se da atitude do público do D. Afonso Henriques e abandonou o terreno de jogo ao minuto 71 da visita a Guimarães. Em comunicado, o Vitória revela que "iniciou as diligências de averiguação ao seu dispor, designadamente através da disponibilização das imagens do sistema CCTV do recinto desportivo" e manifesta intenção de se constituir assistente nos processos consequentes ao sucedido no domingo.

"O racismo é um ato de traição à fundação do clube, perante o qual o VITÓRIA SC e os seus adeptos serão, como sempre foram, verdadeiramente implacáveis. No entanto, é imperioso assinalar que este é um problema de dimensão nacional, que se repete e vem repetindo ao longo de vários anos e em diversos estádios, ao qual as entidades com responsabilidade governativa não se podem alhear com declarações simplistas de repúdio e censura seletivas", pode ler-se.

Neste sentido, o Vitória critica a Liga, que terá cometido uma "gravosa desconsideração institucional" ao clube do Berço, "ignorando de forma inadmissível a sua posição de censura e condenação sobre os acontecimentos em causa aquando da divulgação, através das redes sociais, de todas as outras levadas a cabo pelos restantes clubes": "O racismo é condenável e o VITÓRIA SC também o condena."

Em vídeo, o clube de Guimarães recorda a razão porque assumiu as cores preto e branco: "Alusão à igualdade e à admissão de todos, sem distinção de raças."

O racismo em perspetiva


O clube vimaranense lembra que o racismo é um "problema social que já conheceu condenações efetivas no plano desportivo nacional e internacional, contando embora com o silêncio e a parcimónia de todos os órgãos e entidades que agora prontamente se pronunciaram".

"São conhecidos os casos de racismo, de glorificação da morte, de homicídio, de violência e de discriminação no futebol português, todos sem a indignação correspondente", atira.

O Vitória "não admite que o bom nome e imagem do clube e dos seus adeptos sejam oportunamente colocados em causa por conta de um ato criminoso que não representa, antes afronta, a sua forma de estar, sentir e atuar".

Esta tomada de posição do Vitória de Guimarães contrasta com a do seu presidente, que falou em provocações de Marega para o público da casa. Em resposta, o maliano apelidou Miguel Pinto Lisboa de "besta".

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.