|

 Confirmados

 Suspeitos

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Isabel Camarinha eleita secretária-geral da CGTP

15 fev, 2020 - 11:47 • Lusa

A sua eleição era quase certa e confirmou-se, tendo obtido 115 votos dos 147 do Conselho Nacional.

A+ / A-

Isabel Camarinha foi eleita secretária-geral da CGTP, durante a madrugada de sábado, com 115 votos favoráveis que recebeu dos 147 elementos do Conselho Nacional da central sindical.

A eleição foi realizada durante a madrugada de hoje, após a eleição do Conselho Nacional, no âmbito do 14.º Congresso da CGTP, que decorre no Seixal.

A nova líder da maior central sindical do país recebeu ainda 25 votos brancos e um nulo.

Foi ainda eleita a nova comissão executiva da CGTP, com 134 votos a favor e nove brancos.

Em declarações aos jornalistas na altura em que foram apresentados os resultados, Isabel Camarinha considerou ser uma honra ser a primeira mulher secretária-geral da CTGP.

"A participação das mulheres tem vindo a aumentar no mundo do trabalho, portanto é natural que assumam funções diversas no movimento sindical", destacou.

A sindicalista, militante comunista, vai substituir Arménio Carlos, que deixa a liderança da CGTP após oito anos, devido ao limite da idade.

Quanto às prioridades para o seu mandato, Isabel Camarinha referiu, horas antes de ser eleita, o aumento dos salários, o fim dos horários "desregulados" e a conciliação da vida profissional com a familiar.

Nesta ocasião, Isabel Camarinha afirmou ainda que a CGTP vai "intensificar a luta a todos os níveis", seja nos locais de trabalho, a nível setorial, na Concertação Social "e na rua".

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.