|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

Turista chinês é a primeira vítima mortal do Coronavírus na Europa

15 fev, 2020 - 13:24 • Filipe d'Avillez com Reuters

Número de mortos ultrapassou os 1.500, no dia em que os Estados Unidos anunciaram que vão retirar 400 americanos do cruzeiro que está ao largo do Japão.

A+ / A-

Um homem de 80 anos, de nacionalidade chinesa, tornou-se este sábado a primeira vítima mortal do novo coronavírus na Europa, mais especificamente em França.

O turista estava hospitalizado há vários dias e morreu de infeção pulmonar, causada pelo vírus.

Os mais recentes dados apontam para 1.523 mortes por causa desta nova estirpe de coronavírus e um total de 66.492 casos de infeção. Destas mortes, apenas quatro ocorreram fora da China, nomeadamente no Japão, Hong Kong, Filipinas e agora em França.

Há registo de 500 casos fora da China. Portugal teve já sete casos suspeitos, mas todos deram negativa e as duas dezenas de cidadãos portugueses que vieram da cidade de Wuhan, e que estiveram vários em isolamento, saem este sábado do hospital sem que qualquer um tenha revelado sintomas.

Americanos vão sair do cruzeiro

Em todo o mundo existem vários casos que continuam a preocupar as autoridades, como o navio cruzeiro “Diamond Princess” que se encontra ao largo do Japão, com 3.700 passageiros, tendo já registado 285 casos de infeção.

Este sábado os Estados Unidos anunciaram que vão retirar do navio e levar de volta para a América os 400 cidadãos que estão abordo. O Japão já agradeceu o gesto, dizendo que isso ajudará a resolver a situação e informou que outros países poderão vir a seguir o exemplo. Não há indicação de qualquer português no “Diamond Princess”.

As autoridades americanas já disseram que os passageiros que regressarem à América vão ser sujeitos a 14 dias de quarentena.

Tópicos
Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.