RR
|
A+ / A-

Egito confirma primeiro caso de coronavírus em África

15 fev, 2020 - 03:14 • Lusa

O portador da doença não é egípcio, indicou o Ministério da Saúde, sem precisar a nacionalidade.

A+ / A-

O Ministério da Saúde egípcio anunciou esta sexta-feira o primeiro caso do novo coronavírus Covid-19 no continente africano. O portador da doença não é egípcio, indicou o ministério em comunicado, sem precisar a nacionalidade.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) foi informada e o doente, que não apresentava qualquer “sintoma”, foi transferido para um hospital e colocado em quarentena para ser observado e receber tratamento, segundo o ministério.

O coronavírus Covid-19 provocou mais de 1.500 mortos e infetou 66 mil pessoas a nível mundial.

A maioria dos casos ocorreu na China, onde a epidemia foi detetada no final do ano.

Além de 1.523 mortos na China continental, há a registar um morto na região chinesa de Hong Kong, um nas Filipinas e um no Japão.

As autoridades chinesas isolaram várias cidades da província de Hubei, no centro do país, para tentar controlar a epidemia, medida que abrange cerca de 60 milhões de pessoas.

Em Portugal, uma criança regressada da China foi internada no Hospital Dona Estefânia, em Lisboa, por suspeitas de infeção, mas os resultados deram negativo.

Trata-se do sétimo caso suspeito em Portugal, depois de os anteriores terem sido declarados negativos.

Os cidadãos repatriados da China terminam no sábado o isolamento voluntário no Hospital Pulido Valente, em Lisboa, uma vez que as últimas análises foram "todas negativas", informou a Direção-Geral da Saúde (DGS).

Segundo o Centro Europeu de Prevenção e Controlo das Doenças (ECDC), há 44 casos confirmados na União Europeia e no Reino Unido.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.