|

 Casos Ativos

 Suspeitos Atuais

 Recuperados

 Mortes

A+ / A-

INE

Economia cresceu 2% em 2019

14 fev, 2020 - 09:33 • Redação

Números do INE superam em uma décima os estimados pelo Governo, OCDE, FMI e Conselho das Finanças Públicas, mas estão em linha com a previsão do Banco de Portugal e da Comissão Europeia.

A+ / A-

A economia portuguesa cresceu 2,0% no total do ano passado, de acordo com a estimativa rápida das contas nacionais em 2019, divulgada pelo Instituto Nacional de Estatísticas.

“No conjunto do ano 2019, o PIB aumentou 2,0% em volume, menos 0,4 pontos percentuais que o observado no ano anterior", lê-se no relatório do INE.

Esta evolução é justificada com o “contributo positivo menos intenso da procura interna, refletindo o abrandamento do consumo privado”, acrescentado que “a procura externa líquida apresentou um contributo ligeiramente menos negativo que em 2018, verificando-se uma desaceleração das Exportações e das Importações de Bens e Serviços”.

Os números do INE superam em uma décima os estimados pelo Governo, Organização para a Cooperação e Desenvolvimento Económico (OCDE), Fundo Monetário Internacional (FMI) e Conselho das Finanças Públicas, mas estão em linha com a previsão do Banco de Portugal e da Comissão Europeia.

Estes valores estão 0,4 pontos percentuais abaixo do crescimento registado em 2018 (2,4%), ano em que já se tinha assistido a uma desaceleração da economia portuguesa face a 2017 (crescimento de 3,5%).

Os dados definitivos são publicados pelo INE a 28 de fevereiro.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • ze
    14 fev, 2020 aldeia 10:32
    Não admira,onde os salários são aumentados uns cêntimos,o desemprego continua alto,os impostos mais taxas e tachinhas levam o dinheiro todo,é esta a triste realidade desta republica das.......