RR
|
A+ / A-

Ministra da Administração Pública diz que aumento de 0,3% está fechado

13 fev, 2020 - 07:27

Alexandra Leitão admitiu ir mais longe nas remunerações mais baixas e também nas férias.

A+ / A-

A ministra da Modernização do Estado e da Administração Pública diz que o aumento de 0,3% na função pública é “um ponto fechado”, apesar da contestação dos sindicatos.

“O Governo pediu uma contraposta e está disponível para a analisar com todo o cuidado e para fazer o avanço que seja orçamentalmente possível e responsável. Há aqui caminho para se fazer”, assumiu Alexandra Leitão em entrevista à RTP, admitindo ir mais longe nas remunerações mais baixas e também nas férias.

O Executivo propôs sete euros de aumento na primeira reunião com os sindicatos mas, depois de ser confrontado com a possibilidade de receber uma proposta dos sindicatos de10 euros, a ministra não fechou a porta a essa possibilidade para os dois escalões mais baixos de remuneração.

Mas para os restantes trabalhadores o aumento de 0,3% é um valor fechado, mas em compensação existem outras “medidas transversais poderão ainda não estão completamente fechadas”, como por exemplo receber dias de férias.

A próxima reunião com os sindicatos da administração pública está marcada para a próxima segunda-feira.

A proposta do Governo é encontrar uma metodologia que permita fixar um referencial médio para crescimento dos salários a partir de um conjunto de indicadores como a produtividade, a inflação, o crescimento do emprego e a evolução do Produto Interno Bruto. Porém, a definição de um referencial tem sido criticada por sindicatos e empresas.

Comentários
Tem 1500 caracteres disponíveis
Todos os campos são de preenchimento obrigatório.

Termos e Condições Todos os comentários são mediados, pelo que a sua publicação pode demorar algum tempo. Os comentários enviados devem cumprir os critérios de publicação estabelecidos pela direcção de Informação da Renascença: não violar os princípios fundamentais dos Direitos do Homem; não ofender o bom nome de terceiros; não conter acusações sobre a vida privada de terceiros; não conter linguagem imprópria. Os comentários que desrespeitarem estes pontos não serão publicados.

  • Petervlg
    13 fev, 2020 Trofa 10:25
    Esta Alexandra Leitão, já arrasou os professores, quando é secretaria da educação, agora vai ser toda a função publica. isto vê-se que é tacho, um grande tacho, porque a Alexandra Leitão não tem categoria para o cargo que exerce
  • Futuro ex-sindicaliz
    13 fev, 2020 Por aqui 08:47
    Se o governo impuser isto e os sindicatos limitarem-se a greves de 1 dia, declarações politicas e marchas pela avenida, deixo de pagar quotas e largo o sindicato